Posts de 30 de dezembro de 2012

O inexplicável massacre de Júnior Cigano em Las Vegas. Cain Velasquez bateu até se cansar e retomou o cinturão dos pesados do UFC. Foi a luta mais decepcionante para o Brasil em 2012…

gettyimages O inexplicável massacre de Júnior Cigano em Las Vegas. Cain Velasquez bateu até se cansar e retomou o cinturão dos pesados do UFC. Foi a luta mais decepcionante para o Brasil em 2012...
Não faltarão teses para a derrota.

Exagero nos treinamentos.

Arrogância para não se proteger dos socos e cruzados.

Tentando escapar apenas com fintas como Anderson Silva.

Muito falatório, provocação, badalação.

Nervosismo.

Seja o que for, Júnior Cigano esteve irreconhecível.

E protagonizou a luta mais decepcionante de 2012 para os brasileiros.

Foi massacrado em Las Vegas por Cain Velasquez.

O norte-americano fez o que quis com ele nos cinco assaltos.

E retomou o cinturão dos peso pesados do UFC.

As notas dos jurados mostram o massacre.

Derrota por 50-45, 50-44 e 50-43.

"Gostaria de dizer "desculpa", tentei o melhor.

Não consegui conectar nenhum soco.

Infelizmente não deu desta vez.

Mas aprendi na minha vida que nenhuma derrota vai me vencer."

Foram as palavras do constrangido e desfigurado brasileiro após o combate.

Ele não deve desculpas a ninguém.

A não ser a ele mesmo.

Júnior Cigano teve uma carreira brilhante até conseguir o cinturão.

Foi derrubando rivais e mais rivais.

Seu boxe é o melhor entre os pesados do UFC.

Tanto que foi assim que conseguiu o cinturão.

Em novembro de 2011 precisou de 64 segundos para acabar com Velasquez.

De lá para cá, derrotou como quis Frank Mir.

Vingou o parceiro Minotauro, que teve o braço quebrado pelo americano.

Cigano fechou patrocínio com o Corinthians.

Passou a virar figura carimbada na televisão.

E a ganhar dinheiro como nunca na sua vida.

Diz ter gasto mais de R$ 100 mil só no treinamento para a luta de ontem.

Sabia que Velasquez faria tudo para levar o combate para o chão.

O mundo sabia dessa estratégia.

Mas deveria estar mais do que preparado.

No dia 8 de dezembro se tornou faixa preta de jiu jitsu.

Seu mestre Yuri Carlton lhe deu a honraria.

Fora todo staff que o cerca, Cigano tem Luiz Dórea.

O preparador de Popó e responsável por seu boxe.

Ou seja, teoricamente ele estaria mais do que preparado.

Tanto na trocação como no chão.

"Vou provar que sou o homem mais mau do planeta", disse antes da luta.

Avisava estar disposto a quebrar todos os recordes dos pesados do UFC.

E que aguardaria com ansiedade que Jon Jones subisse de categoria.

O próprio Cigano criou uma expectativa de vitória fácil contra Velasquez.

Só o que se viu no octógono foi um desastre.

O americano aproveitou a revanche e fez o que quis do brasileiro.

Se cansou nos dois primeiros rounds de tanto bater.

Cigano entrou com uma postura incompreensível.

Com a guarda baixa.

E apenas fugindo do adversário.

Velasquez estava afoito, desesperado para se vingar.

E tentou várias vezes o single leg.

O golpe consiste em segurar uma das pernas do oponente e o derrubar.

Golpe primário.

O brasileiro apenas empurrava e corria.

Deu a falsa impressão que era um toureiro dando seu show.

Velasquez não demorou para perceber que Cigano estava com a guarda baixa.

Parecia hipnotizado, sonado.

Nada de jabs, diretos, cruzados.

O brasileiro estava travado, irreconhecível.

Dava a impressão que queria apanhar.

E começou a ser massacrado.

Virou alvo fixo junto à grade.

Tudo começou com um direto.

A partir daí, foi desesperador.

Porque além dos socos, ele começou a tomar várias quedas.

Parecia um amador contra um profissional.

Foi a pior luta de sua vida.

Seu rosto foi ficando inchado, desfigurado.

Dórea implorava para ele levantar a guarda.

Se defender.

Mas os braços inexplicavelmente baixos.

Um convite para diretos, cruzados e cotoveladas de Cain.

Ele se cansou de tanto bater.

Os brasileiros sonhavam com uma reação de Cigano.

Que seguisse o exemplo do personagem cinematográfico da música com que entra para lutar.

Mas não esteve em noite de Rocky Balboa.

Estava apenas na sua pior noite como lutador.

Seu coração guerreiro evitou o nocaute.

Perdeu os cinco rounds sem reagir.

Os dois primeiros foram trágicos.

Cigano não decepcionou só os brasileiros.

A Nike, o Corinthians.

Mas também a cúpula do UFC.

O seu confronto com Velasquez foi a última luta de 2012.

Acabou sendo desastrosa.

Não terá tão cedo nova chance para tentar recuperar o cinturão.

Assim como quando Shogun perdeu para Jon Jones.

A derrota foi feia demais.

Cigano, de repente deixou de atrair a atenção de Dana White.

Lutadores massacrados defendendo cinturões não interessam.

Velasquez em novembro passado perdeu graças a um golpe.

Um soco perfeito de Cigano que passou por cima de sua guarda.

E atingiu a sua cabeça.

O que aconteceu ontem foi deprimente.

Não combina com o grande lutador que o brasileiro é.

Mas os holofotes eram fortes demais.

Cigano terá de se reinventar.

Mostrar novamente ao mundo do UFC seu potencial.

A derrota em Las Vegas acabou sendo pesada demais.

Dana não tempo a perder se o brasileiro teve 'um branco'.

Mike Tyson foi convidado e estava nas primeiras fileiras.

Se esperava um show de boxe no octógono.

O que Tyson e o mundo viram foi uma surra.

Alguém dando o rosto para ser socado.

Sendo derrubado pela mais simples rasteira.

Infelizmente esse lutador foi Júnior Cigano.

Cain Velasquez aproveitou.

Bateu forte, com raiva.

E reconquistou o cinturão.

Qualquer explicação não convencerá.

O Brasil perdeu o seu campeão dos pesados no UFC.

Ele não conseguiu nem ir à coletiva de imprensa após a luta.

Teve de ir ao hospital fazer exames de tanto que apanhou.

Que Cigano consiga entender o que fez em Las Vegas.

Porque o mundo não entendeu esse massacre...