Posts de 9 de março de 2012

Corinthians cobra o triplo que o Flamengo por jogo da Libertadores. Esperta, diretoria aproveita a própria incompetência para vencer o torneio e sangra sua torcida…

AE92 Corinthians cobra o triplo que o Flamengo por jogo da Libertadores. Esperta, diretoria aproveita a própria incompetência para vencer o torneio e sangra sua torcida...

Este post divido com Deborah que está na Holanda.

Masoquista leitora diária do blog, ela enviou os dados.

E comemorando.

Eu vou por outro lado.

O da lamentação.

Como uma diretoria que vai para os restaurantes mais caros de São Paulo.

Usa os melhores carros.

Mora em mansões.

E ainda se vangloria dizendo que veio da torcida, das arquibancadas.

Dirigentes corintianos cobram R$ 200,00, R$ 300,00 e R$ 500,00 dos seus torcedores.

Aproveitam a gana para vencer a Libertadores para explorar que acreditam representar.

Há torcedores como a Deborah.

Aqueles que acreditam ser maravilhoso o clube cobrar tanto dos seus torcedores.

E há quem acredite ser um absurdo, um abuso.

A transformação do Pacaembu no Morumbi a força.

Usando a paixão dos torcedores para bater recorde de arrecadação.

A direção do Flamengo, o clube mais endividado do país, cobra um preço justo.

A do Corinthians, não.

Aproveita para lucrar com a incompetência do clube em vencer a Libertadores.

Competição que Santos, Palmeiras e São Paulo, os rivais de quintal, já conquistaram.

Os números estão aí para demonstrar a grande diferença de mentalidade.

Se corintianos acham certo, lamento.

Que a diretoria de Mario 'futebol é business' cobre o dobro no próximo jogo da Libertadores.

Flamengo 1 x 0 Emelec

Local: Engenhão

Público: 27.826 pagantes

Renda: R$741.859,00

Preço médio do ingresso: R$ 26,66.

Corinthians 2 x 0 Nacional (Par)

Local: Pacaembu

Público: 29.336 pagantes

Renda: R$ 1.829.930,00

Preço médio do ingresso: R$ 62,38

O Flamengo arrecadou R$741.859,00

O Corinthians embolsou R$ 1.829.930,00

Que diretoria está certa?

Quem sangra o seu próprio torcedor?

Sem a menor chance de assumir a CBF… Depois de não poder concorrer à prefeitura do Rio…O caminho de Romário pode ser outro. O Senado Federal em 2014…

divulgacao4439 Sem a menor chance de assumir a CBF... Depois de não poder concorrer à prefeitura do Rio...O caminho de Romário pode ser outro. O Senado Federal em 2014...
Romário não quer assumir o papel que se espera dele.

Não pode.

Sabe que não tem a menor chance.

Campanhas na Internet, pedidos de populares, de jornalistas.

Até de políticos.

Mas ele não tem a menor pretensão de brigar para ser presidente da CBF.

Já sonhou com isso.

Mas inteligente, percebeu que não há como lutar de verdade.

Como são os presidentes de Federações quem escolhem o chefe da entidade, não teria chance.

Não há a menor intenção desses dirigentes em transformá-lo no Platini brasileiro.

Até porque deixa claro que não aceitaria de maneira alguma ser marionete de ninguém.

Não há sequer um presidente de Federação que aceite a hipótese de Romário ser candidato.

A CBF é deles e ponto final.

Esperto, ele já percebeu que não há o que fazer.

Sua saída está política tradicional, que o recebeu de braços abertos.

Sem líderes, o País se inclina para ouvir o que pensa o Baixinho.

Como deputado federal ganhou pontos pela válida briga pelas pessoas com a Síndrome de Down.

A sua linda filha Yvy é a grande responsável pelo caminho que decidiu seguir.

Mas sua origem não pode ser renegada: o futebol.

E passou a opinar, criticar os desmandos de Ricardo Teixeira, as trapalhadas com a Seleção.

Não se omitiu e se posicionou contra os vários escândalos.

Virou pedra no sapato de Teixeira.

Só errou feio quando aceitou posar ao lado do ameaçado dirigente.

Foi uma retribuição pelos ingressos reservados a pessoas deficientes na Copa.

Romário percebeu que estava sendo usado, mas suportou.

E decepcionou muita gente.

Tanto ele sentiu o golpe que se recolheu.

Só voltou a falar agora.

Criticou o novo Maracanã, defendeu Jobson na Seleção.

Jogando futevôlei, Romário desconta o tombo politico que levou.

Ele queria de todas as maneiras ser candidato a prefeito do Rio.

Mas o seu partido, o PSB fechou um acordo de apoio a Eduardo Paes do PMDB.

Romário ficou sem legenda, sem apoio para a sonhada empreitada.

Em nome do seu desejo disse não ao convite para ser secretário de Esportes no Rio.

A chamada veio do próprio prefeito Eduardo Paes.

Romário quer cumprir a sua missão de vistoriar as arenas da Copa.

Fiscalizar e denunciar os abusos da Fifa.

Da Lei Geral da Copa.

E ganhar mais força política para vôos mais altos.

Ele já foi sondado por partidos políticos mais fortes.

Profissionais, querem os votos que sua popularidade pode arrastar.

Sem o menor espaço na CBF, Romário vai fazendo o que gosta.

Jogar futevôlei, denunciar os abusos da Copa e ganhar força política.

Mas políticos de carreira acreditam que a hora chegará em 2014.

Não por causa da Copa do Mundo.

Muito menos pela CBF.

A data que importará: 5 de outubro de 2014.

Quando terá enorme chance de estar brigando por uma vaga no Senado federal.

A articulação para sair candidato é mais fácil do que para prefeito do Rio.

Romário vai se calar, negar.

Faz parte do jogo.

Mas sabe que está sendo observado por políticos poderosos.

Eles o querem no cargo.

Matreiro, só vai esperar.

Depois da desilusão com a sua candidatura à prefeitura do Rio...

Ele aprendeu.

Na política brasileira não adianta ter apoio popular.

E muito menos desejar um cargo.

São as alianças políticas que contam.

Mas o sonho do senado existe.

A discutida ineligibilidade por sonegação fiscal não é levada em conta.

Advogados garantem que o caso de Romário não caracteriza a lei da Ficha Limpa.

E que ele pode concorrer ao cargo que quiser nos próximos oito anos...

Com tentar ser senador.

Seria uma excelente compensação para quem não pode assumir a CBF.

Já que a entidade é particular.

Pertence a Ricardo Teixeira e aos presidentes das Federações.

Esse é o Brasil real...

Andres, Ronaldo e Mano Menezes. A patota corintiana perdeu o seu protetor, Ricardo Teixeira. E, sorrindo, tenta sobreviver nas mãos de Marco Polo…

divulgacao9936 Andres, Ronaldo e Mano Menezes. A patota corintiana perdeu o seu protetor, Ricardo Teixeira. E, sorrindo, tenta sobreviver nas mãos de Marco Polo...
Acabou a arrogância.

Chegou o medo.

Os protegidos de Teixeira são chamados de 'os corintianos' da CBF.

Andres Sanchez, Mano Menezes e Ronaldo.

Eles são taxados pelos presidentes de Federações como patota.

O antigo nome determina uma turma perfeitamente entrosada.

Com a força do clube mais popular de São Paulo, um sustenta o outro.

Tinham a protegê-los a figura ditatorial de Teixeira.

Pela aliança que Andres costurou com Lula, o presidente da CBF mantinha o trio.

O toma lá dá cá político é fácil de traduzir.

Andres levou Lula e o Planalto Central para Teixeira.

Em compensação ganhou a promessa de assumir a CBF depois de 2015.

Com a perda da Copa da África e os problemas com a Globo, Dunga foi limado.

O chefe da delegação na África já havia tentando empurrar o nome de Mano.

Teixeira foi aconselhado por seus amigos do Itanhangá Golf Club a bancar Muricy.

E mandou convidá-lo.

Foi da maneira mais amadora, ridícula possível.

É ótimo revelar para entender como funciona a CBF.

Na noite do dia 22 de julho de 2010, o Fluminense venceu o Cruzeiro no Maracanã.

Teixeira mandou o assessor de imprensa Vitor Rios ao estádio.

Vitor não tem nem 30 anos, parece um garoto rico da Zona Sul carioca.

É uma sombra de Rodrigo Paiva.

Ninguém no mundo do futebol o conhece.

A cena foi patética.

Ele esperou Muricy sair da coletiva de imprensa.

Foi concorrida porque o Fluminense venceu o importante jogo por 1 a 0.

Quando o técnico estava indo embora, Vitor aproximou dele.

E fez o convite.

Disse que Teixeria queria chamá-lo para comandar a Seleção.

O estava convidando para ir ao seu amado Itanhangá Golf Club.

Desconfiado, Muricy não acreditou.

Pensou que fosse gozação da direção do Fluminense.

Falou que Vitor estava 'de sacanagem' e começou a rir.

Só não o deixou falando sozinho porque o assistente conseguiu ligar para Teixeira.

E aí sim o presidente chamou Muricy para conversar no dia seguinte.

É dessa maneira que as coisas acontecem no futebol brasileiro.

Com a pressão da direção do Fluminense para que recusasse o cargo...

Muricy abriu brecha para Mano.

Aí bastou Teixeira acionar Andres e a situação estava resolvida.

Com o fim da sua gestão como presidente do Corinthians, Teixeira esticou as mãos.

E lhe deu o cargo de diretor de Seleções.

Primeiro degrau para sucedê-lo.

Andres aceitou com tanta pressa que nem esperou acabar o seu mandato como presidente.

Quis exibir o seu poder no Parque São Jorge.

Mais provinciano impossível.

Sua primeira providência no cargo não foi cuidar da Seleção, mas do prestígio de Teixeira.

Recomendou Ronaldo para o Comitê Organizador Local.

Seria um escudo perfeito para o dirigente.

Lembrando que Andres nega ser sócio da 9ine.

Diz que é apenas conselheiro da empresa de marketing de Ronaldo.

Mesmo tendo um cargo decorativo, Ronaldo aceitou.

Diz que foi para o 'povo brasileiro' ter orgulho da Copa.

Mas os contatos comerciais com os patrocinadores da Fifa são muito importantes para quem tem uma agência de marketing esportivo.

Andres, Mano e Ronaldo tinham o mesmo comportamento.

Arrogantes e fechados.

Usavam a TV Globo para se manifestar quando precisava.

Só que a patota mudou desde que começaram os rumores da saída de Teixeira.

Andres Sanchez perdeu grande parte da prepotência.

No lamentável amistoso contra a Bósnia, ele atendeu a todos com carinho.

Fez questão de conversar com jornalistas de todos os veículos.

E mostrar que é muito boa gente.

Mano Menezes também passou a aceitar bater papo depois dos treinos.

Após as entrevistas.

Parecia outro treinador.

Assim como Ronaldo.

Ele decidiu até a brincar com jornalistas de outras emissoras.

Não apenas a sua companheira de todas as horas, a Globo.

Até abrir a sede da 9ine para a imprensa ele abriu.

A patota agora quer se mostrar simpática.

E que não tem nada a ver com a nuvem negra que cerca Teixeira.

O dirigente que pediu licença ontem da CBF foi fiel.

Exigiu que Marco Polo del Nero, mentor de José Maria Marin, mantivesse o trio.

E Marco Polo aceitou.

Pelo menos por enquanto.

Andres Sanchez desconfia de Marco Polo.

Até porque o presidente da Federação Paulista quer a CBF.

É um rival inteligente, silencioso.

Mano e Ronaldo sabem disso.

Por isso vão tratar de não criar problemas para Marin ou Marco Polo.

A patota está pendurada em seus cargos apenas na palavra do dirigente da FPF.

Estão sorridentes por fora.

Por dentro sabem que precisam desesperadamente da volta de Teixeira.

As denúncias ficaram até mais forte com sua licença de 60 dias.

Há muita incerteza em relação à sua volta.

O presidente da CBF tem a vida pronta para tocar nos Estados Unidos.

Da licença para a renúncia pode ser um passo.

A patota sabe disso.

E sem o que fazer, sorri para as câmeras.

Toda a arrogância de quem acreditou mandar no futebol brasileiro sumiu.

O mundo girou na pior hora para esse trio.

Perdeu o padrinho.

Está nas mãos de quem não confiam, Marco Polo.

A Andres, Mano e Ronaldo só resta rezar, fazer pose e sorrir.

Sorrir para quem não tem memória...

E está pronto para aceitar migalhas dos poderosos...