Perder para o CRB, com direito a olé, terá consequências no São Paulo. Acabou a zona de conforto de Muricy. Os alagoanos ganham dez vezes menos. A nova diretoria será mais enérgica do que Juvenal com o treinador e seu time…

 Perder para o CRB, com direito a olé, terá consequências no São Paulo. Acabou a zona de conforto de Muricy. Os alagoanos ganham dez vezes menos. A nova diretoria será mais enérgica do que Juvenal com o treinador e seu time...
Os gritos de 'olé, olé, olé' não serão esquecidos em Maceió.

A noite de ontem foi inédita.

Pela primeira vez na história o CRB ganhava de um grande.

Nunca antes na Copa do Brasil havia dado esse prazer à sua torcida.

Tentou contra Corinthians, Atlético Mineiro, Fluminense...

Cruzeiro, Flamengo e Botafogo.

Mas contra o time de Muricy Ramalho finalmente conseguiu.

Expôs velhos problemas que atormentam conselheiros no Morumbi.

E que foram parar diretamente no ouvido de Carlos Miguel Aidar.

O presidente da triste declaração.

Que no seu clube só joga atleta com todos os dentes na boca.

E alfabetizado.

Não consta que ontem tenha jogado nenhum banguela ou analfabeto.

O problema seria fácil se fosse esse.

A situação é muito mais complicada.

Muricy tem nas mãos um elenco milionário.

Pato, Luís Fabiano, Ganso, Rogério Ceni, Antônio Carlos...

Alvaro Pereira, Pabón, Maicon, Souza, Osvaldo...

Além da promessa Rodrigo Caio.

São elementos suficientes para montar um bom time.

Pelo menos na teoria.

Mas não é o que vem acontecendo.

Desde 2008, o clube só ganhou um título.

A Copa Sul-Americana em 2012.

É pouco demais para tanta estrutura.

Jogadores e treinadores caros.

Carlos Miguel e o novo vice de futebol Ataíde Gil Ribeiro juraram.

Iriam cobrar, exigir uma equipe forte, competitiva.

Brigando por títulos.

Bem ao contrário do que se viu em Maceió.

Na verdade, o ano passado já foi péssimo.

Ney Franco e Paulo Autuori fracassaram.

Deixaram o time até ameaçado pelo rebaixamento.

Muricy foi contratado como o salvador.

E conseguiu o principal objetivo.

Manteve o clube na Série A.

Mas também vem acumulando vexames.

Perdeu a semifinal da Sul-Americana para a Ponte Preta.

Caiu nas quartas do Paulista diante da Penapolense.

1vipcomm Perder para o CRB, com direito a olé, terá consequências no São Paulo. Acabou a zona de conforto de Muricy. Os alagoanos ganham dez vezes menos. A nova diretoria será mais enérgica do que Juvenal com o treinador e seu time...

Com a troca de presidente, a promessa é que tudo seria diferente.

Mas para eliminar o CSA, também de Alagoas, foram necessárias duas partidas.

A vitória por 3 a 0 contra o Botafogo no domingo não animou.

Todos sabiam da fragilidade do time carioca afogado em dívidas.

Mas ninguém contava com uma derrota contra o CRB.

A folham de pagamento do clube alagoano é de R$ 500 mil.

A do Morumbi bate nos R$ 5 milhões, ou seja, dez vezes mais.

Nem assim, o time conseguiu se impor.

Juvenal Juvêncio não é mais o comandante do clube.

Carlos Miguel lhe deu a chefia da base em Cotia.

Mas ele tem muito a dizer sobre o futebol.

E algumas reclamações.

Principalmente em relação a Muricy.

Ele já avisou o seu sucessor que deveria cobrar o técnico.

Juvenal sabe que o treinador tem uma aura de vencedor.

As três conquistas de Brasileiro só pelo São Paulo pesam.

A irritação pelo velho caudilho vem desde a Sul-Americana de 2013.

O clube poderia estar disputando a Libertadores se vencesse.

Mas não houve como cobrar o técnico já que a prioridade era não cair.

Agora em 2014, não.

2gazeta8 Perder para o CRB, com direito a olé, terá consequências no São Paulo. Acabou a zona de conforto de Muricy. Os alagoanos ganham dez vezes menos. A nova diretoria será mais enérgica do que Juvenal com o treinador e seu time...

Juvenal não se conforma com duas contratações que fez.

A pedido dele fechou com Luís Ricardo, lateral da Portuguesa.

Muricy também deu seu aval para a vinda de Pabón.

Só que os dois já viraram reservas no Morumbi.

A única explicação é que a observação foi mal feita.

É muita incoerência querer a dupla e não usá-la.

Rodrigo Caio também é motivo de questionamento.

Ele era a maior esperança da categoria de base.

Primeiro volante que jogava com a cabeça erguida.

Excelente na antecipação, na marcação.

Foi fixado como zagueiro e os cartões viraram uma constante.

Ganso continua irregular.

Para uma partida boa, três ruins.

Só está mais falante por orientação do seu novo agente: Pepe Dioguardi.

Pato se sente muito bem no Morumbi.

Está mais aguerrido, vibrante.

Só que ontem perdeu pelo menos dois gols absurdos.

O primeiro sem goleiro.

E o segundo, livre para cabecear na pequena área.

Teve a coragem de mandar a bola para fora.

É evidente que precisa treinar mais fundamentos.

Rodrigo Caio foi expulso no início do segundo tempo.

Mas isso não é desculpa para a apatia da equipe.

Muricy tenta se esconder alegando viagem e calor.

Mas a justificativa não convence.

A temporada mal começou.

Tem a obrigação de se classificar no jogo decisivo contra o CRB.

Mas as cobranças deverão começar bem mais cedo.

O São Paulo enfrentará o Cruzeiro domingo em Uberlândia.

E conselheiros exigem a reação do time.

Carlos Miguel e Ataíde Gil Guerreiro sentem na pele as queixas.

1spf Perder para o CRB, com direito a olé, terá consequências no São Paulo. Acabou a zona de conforto de Muricy. Os alagoanos ganham dez vezes menos. A nova diretoria será mais enérgica do que Juvenal com o treinador e seu time...

Vão repassá-la a Muricy.

Juram a conselheiros que não serão tão tolerantes quanto Juvenal.

E que a prioridade do treinador não é mais tirar o time do rebaixamento.

Ambos exigem, no mínimo, a Libertadores em 2015.

O vexame de ontem à noite não passará em branco.

Perder, com direito a olé do CRB, é inadmissível.

Ao clube tri mundial, da Libertadores e com seis Brasileiros.

Vão cobrar o treinador.

Acabou sua zona de conforto.

E se preciso for, correr atrás de reforços.

O cheio de dentes e criado à base de iogurte Kaká, já disse não.

Prefere os Estados Unidos se deixar o Milan.

Mas há no mercado desdentados, feios e analfabetos.

E vencedores.

Como vários que fizeram a história vitoriosa do São Paulo.

E que talvez Carlos Miguel tenha se esquecido.

A realidade é uma só: a zona de conforto de Muricy acabou...
2ae10 1024x723 Perder para o CRB, com direito a olé, terá consequências no São Paulo. Acabou a zona de conforto de Muricy. Os alagoanos ganham dez vezes menos. A nova diretoria será mais enérgica do que Juvenal com o treinador e seu time...

O Atlético Mineiro jogou como um time pequeno. Encolhido na defesa, escapou de uma goleada. Perdeu apenas por 1 a 0 para o Nacional em Medellin. Deu muita saudade de Cuca…

1getty3 O Atlético Mineiro jogou como um time pequeno. Encolhido na defesa, escapou de uma goleada. Perdeu apenas por 1 a 0 para o Nacional em Medellin. Deu muita saudade de Cuca...
Não era possível ser o Atlético Mineiro.

Não o campeão da Libertadores da América.

Com futebol insinuante, coragem, força ofensiva assustadora.

Não era.

Os jogadores são praticamente os mesmos.

Porém a diferença é constrangedora.

A equipe entrou com medo inaceitável em Medelin.

Sua postura encolhida parecia que enfrentaria o Bayern.

E em Munique.

Era apenas o Nacional.

Mas Paulo Autuori superestimou o adversário.

Travou seu time com DNA ofensivo na defesa.

Não bastassem três zagueiros, obrigou seus atacantes a marcar.

Os marcadores pelos lados eram proibidos de passar o meio de campo.

O Atlético Mineiro atuou em um inacreditável 3-6-1.

Deu toda a iniciativa para os colombianos.

Juan Carlos Osorio não esperava tanta covardia.

O campeão da América se portava como time pequeno.

Sem o mínimo orgulho.

Seu maior mérito era dar chutões.

Não tinha a menor articulação tática para contragolpes.

Ronaldinho Gaúcho outra vez andava em campo.

Ocupava um espaço importantíssimo, o de armador da equipe.

Só que mais uma vez estava disperso, improdutivo.

Tardelli tentava jogar por ele e por Ronaldinho.

Fernandinho tinha a obrigação de correr atrás de lateral.

Jô se desesperava na frente, já que a bola não chegava na frente.

O Nacional foi forçado a atacar.

A equipe é competitiva, mas ortodoxa.

Usa o 4-4-2, alternando para o 4-3-3.

Seus atacantes correm muito.

Apesar de superpovoado o meio de campo, Cárdenas tinha espaço.

Com toda a liberdade para impor o ritmo acelerado.

O Nacional levava toda a vantagem atacando em bloco.

Réver voltava ao time completamente sem ritmo.

Sobrecarregava Otamendi e Leonardo Silva.

Pierre e Leandro Donizete davam espaço.

E os colombianos bombardearam o gol brasileiro.

2getty O Atlético Mineiro jogou como um time pequeno. Encolhido na defesa, escapou de uma goleada. Perdeu apenas por 1 a 0 para o Nacional em Medellin. Deu muita saudade de Cuca...

Se não fosse Victor, o Atlético Mineiro seria goleado.

Ele fez pelo menos quatro excelentes defesas.

A apatia de Paulo Autuori no banco era irritante.

Há limites para um treinador ser zen.

A sua falta de vibração passava para o time.

Ele não aproveitou o fato do primeiro tempo ter terminado 0 a 0.

O Atlético voltou com a mesma equipe.

Pior, com a igual postura.

Sem atitude.

Deixando toda a iniciativa do jogo aos colombianos.

Continuou o massacre.

Victor espalmando e a bola rondando a pequena área.

Só na parte final, faltando 15 minutos, Autuori acordou.

Tirou o apático Ronaldinho e o improdutivo Fernandinho.

Guilherme e Marion deveriam ter entrado muito antes.

Mostraram mais raça, vontade.

O empate mais injusto da Libertadores ia se concretizando.

Quando, aos 46 minutos, veio a justiça.

Cárdenas acertou ótimo chute da entrada da área.

E desta vez conseguiu vencer Victor.

1 a 0, Nacional.

O placar é reversível na próxima quinta, no Horto.

Mas desde que Autuori perceba o time que tem nas mãos.

Sua covarde estratégia ameaça o futuro do Atlético.

Os jogadores mesmo, como Leandro Donizete, reclamaram.

Detestaram ficar presos no seu campo.

Correndo atrás do time colombiano que não é nada extraordinário.

Alexandre Kalil já deve ter percebido.

Até agora o futebol mostra que errou feio ao substituir Cuca.

A melhor fase de Autuori foi há nove anos.

Quando ganhou a Libertadores e o Mundial com o São Paulo em 2005.

Desde então, trabalhos pífios, irrelevantes.

Kalil foi alertado.

Mas resolveu arriscar.

A escolha foi absolutamente do presidente.

No Mineiro e na primeira fase, o time já colecionou decepções.

E precisa mudar de forma radical para se classificar às quartas.

Se não, o sonho de bicampeão da Libertadores pode acabar.

Muito, mas muito antes do aceitável.

A situação é bem delicada.

A eliminação ainda nas oitavas se mostra bastante possível.

Autuori não entendeu ainda o elenco que tem nas mãos.

Quando descobrir pode ser tarde.

A saudade de Cuca na Cidade do Galo é enorme...

(Alexandre Kalil não suportou a pressão.

O jogo foi tão constrangedor que não houve saída.

Demitiu nesta manhã Paulo Autuori.

Seu clube terá novo treinador na revanche.

Na próxima quinta-feira, alguns nomes são cotados.

Tite, Ney Franco e Doriva fariam parte da lista.

Basta esperar.

Mas pelo menos acabou para Autuori...)
 O Atlético Mineiro jogou como um time pequeno. Encolhido na defesa, escapou de uma goleada. Perdeu apenas por 1 a 0 para o Nacional em Medellin. Deu muita saudade de Cuca...

Escolha a frase que estará estampada no ônibus da Seleção. E que resume a Copa do Mundo de 2014. “Calma. Pode sentar, o cimento é fresco. Mas o estádio não vai cair.” É a nossa modesta sugestão…

1reproducao24 Escolha a frase que estará estampada no ônibus da Seleção. E que resume a Copa do Mundo de 2014. Calma. Pode sentar, o cimento é fresco. Mas o estádio não vai cair. É a nossa modesta sugestão...
A Fifa adora marketing.

Aproveita cada espaço possível.

E não iria perder a oportunidade em relação aos ônibus das seleções.

Abriu um concurso para o slogan que será pintado no veículo.

A votação é aberta ao pública.

Feita no site da Fifa.

Há opções inspiradas, outras nem tanto.

São três para cada país.

ARGÉLIA
1, 2, 3, viva a Argélia!
Guerreiros do deserto no Brasil
Juntos, vamos espalhar nosso sonho

ARGENTINA
Argentina, paixão pelo futebol
Não somos um time, somos um país
O sonho de um país está em trânsito

AUSTRÁLIA
Deixa com a gente, pessoal!
Socceroos: pulando para a glória
Que boa carona para os jogos

BÉLGICA
País pequeno, grandes jogadores
Um time, um sonho
Espere o impossível

BÓSNIA
Onze dragões, um sonho. Unidos pela vitória!
Dragões no coração, dragões em campo
Joguem com coração, pensem com coração, vivam o sonho

CAMARÕES
Um leão sempre será um leão
Somos leões, leões invencíveis
Vamos, Leões Indomáveis, vamos!

CHILE
Chi, chi, chi, le, le le, Viva Chile!
Garra e paixão, chilenos de coração
Com bumbo e tambor, vamos, Chile, jogar com coração

COLÔMBIA
Meu país, meu orgulho, meu time!
Aqui não viaja só uma equipe, viaja todo um país
Cante, dance e grite gol!

COSTA RICA
Pura vida, puro sonho, puras vitórias, simplesmente Costa Rica. Avante, Ticos!
Minhas paixões são futebol, minha força, minhas pessoas, meu orgulho Costa Rica
O "Pura Vida" é conhecido em todo o mundo, assim como nosso time

COSTA DO MARFIM
A beleza da Costa do Marfim chega ao Brasil
Elefantes rumo ao Brasil
Juntos pela mesma paixão

CROÁCIA
Pelo orgulho da nação
Com fogo em nossos corações, um por todos e todos por um, Croácia
A sua força é nosso orgulho

EQUADOR
O jogo começou! Alcance seu sonho, coração tricolor!
Um compromisso, uma paixão, um coração. Tudo por você, Equador
As emoções de um país sobre nossos ombros

INGLATERRA
O sonho de um time, as batidas de coração de milhares
Juntos pela nação
Um espírito, um sonho

FRANÇA
No caminho da glória
A palavra "impossível" não existe em francês
Um por todos, todos pela França

ALEMANHA
Um país, um time, um sonho
Um time, uma vontade, um objetivo
Juntos, um caminho, um objetivo

GANA
Estrelas Negras, chegou nossa hora de brilhar!
Gana, uma estrela em ascenção
As Estrelas Negras chegaram para iluminar o Brasil

2reproducao11 Escolha a frase que estará estampada no ônibus da Seleção. E que resume a Copa do Mundo de 2014. Calma. Pode sentar, o cimento é fresco. Mas o estádio não vai cair. É a nossa modesta sugestão...

GRÉCIA
Os heróis jogam como os gregos
Aqui é Grécia!
Um time, um sonho

HONDURAS
Somos um povo, uma nação, cinco estrelas no coração
Este é meu país, esta é minha nação, ser Catracho é minha benção
Catrachos com paixão, apoiando a seleção com tudo

IRÃ
Honra da Pérsia
Um mundo, uma nação, um time
Capturemos o sonho

ITÁLIA
Vamos pintar o sonho da Copa do Mundo de azul
Vamos pintar nossos sonhos de azul
Itália, a paixão pela vitória

JAPÃO
Um espírito, um time, uma vitória
Samurais, chegou a hora de lutar!
Ternemo-nos um! É a hora de juntar!

COREIA DO SUL
Vamos nos divertir, Vermelhos!
A interminável Coreia
Além da vitória

MÉXICO
Cantando 'Cielito Lindo', os corações se unem para sermos campeões
O caminho dos campeões começa aqui
Sempre unidos, sempre aztecas

HOLANDA
Futebol é nossa paixão, respeito é nossa mensagem
Com orgulho nós marcamos
Homens de verdade vestem laranja

NIGÉRIA
Só juntos podemos vencer
Um jogo, uma nação
Um mundo, um ritmo

PORTUGAL
Aqui vai uma seleção que orgulha uma nação. Força, Portugal!
Muita mais que futebol, uma paixão!
O passado é história, o futuro é a vitória

RÚSSIA
Nunca andaremos para trás
Somos o número 1
Ninguém pode nos alcançar

ESPANHA
Vamos seguir escrevendo a história
Carregamos toda a nação em nossos corações
Dentro de nossos corações, existe a paixão dos campeões

SUÍÇA
Estação final: 13/07/2014 - Maracanã
Somos suíços, essa é nossa hora: precisamente 20:14
Nos façam sonhar!

URUGUAI
Escrevendo a história celeste
O sonho de três milhões... Vamos, Uruguai!
Uruguai por todos!

ESTADOS UNIDOS
Unidos por um time, guiados pela paixão
Sinta, acredite, conquiste
Um time acima de tudo. Acima de tudo, um time

Na Alemanha, em 2006, a frase do Brasil...

"Veículo movido por 180 milhões de corações brasileiros."

O ônibus da Seleção na Copa da África foi interessante.

"Lotado. O Brasil inteiro está aqui dentro."

Também não deu certo.

Agora as opções são outras para o Mundial de 2014.

"Engata a 6ª, Brasil!"

"Não na nossa casa!!!"

"Preparem-se, o hexa está chegando!"

São essas três.

O eleitor precisa escolher uma.

No blog seremos mais democráticos.

Quem quiser dê a sua sugestão de frase que resume a Copa.

As minhas modestas sugestões.

"Calma. Pode sentar. O cimento é fresco. Mas o estádio vai não cair."

"Faz de conta que o lugar é seu. Não reclama."

"Não... Nem a Dilma e nem o Lula vão discursar."

"Dinheiro público sai do meu bolso?"

"O Exército nos protege dos manifestantes. E dos bandidos?"

Quem desejar, escreva as suas opções...
1afp5 Escolha a frase que estará estampada no ônibus da Seleção. E que resume a Copa do Mundo de 2014. Calma. Pode sentar, o cimento é fresco. Mas o estádio não vai cair. É a nossa modesta sugestão...

O Flamengo reencontrará o técnico que pagou para deixar a Gávea. Os jogadores que poderiam ser rebaixados, e prejudicar sua carreira, ganharam a Copa do Brasil. Será a partida do rancor…

 O Flamengo reencontrará o técnico que pagou para deixar a Gávea. Os jogadores que poderiam ser rebaixados, e prejudicar sua carreira, ganharam a Copa do Brasil. Será a partida do rancor...
Mano Menezes disfarça.

Os jogadores do Flamengo também.

Mas domingo será um dia especial para eles.

Marcará o reencontro de uma história mal contada.

A de um treinador que pagou para abandonar o clube mais popular do Brasil.

Afirmando publicamente que o time não entendia o que falava.

Vamos conversar um pouco diferente, porque acabo de ter uma reunião com todos e comuniquei oficialmente que não sou mais o técnico do Flamengo. Primeiro para o Paulo Pelaipe, depois todo grupo e fiz a comunicação oficial. Estávamos fechando ciclo de três meses e senti no resumo do jogo de hoje que não consegui passar para esse grupo aquilo que penso sobre futebol. E quando é assim, é porque o técnico precisa sair.

"Com essa visão, tomei essa decisão difícil e inédita na minha carreira, mas julgo ser a mais correta neste momento para que o Flamengo trilhe outro caminho que não seja esse, mais perto da zona de rebaixamento do que na parte de cima da tabela. Agradeço a relação correta dos últimos meses e deixo um abraço a todos."

Esses foram o ponto principal do seu discurso de despedida.

Não suportou três meses de trabalho na Gávea.

Jogou tudo para o alto com 22 partidas.

Não fez pela derrota por 4 a 2 para o Atlético Paranaense no Maracanã.

Os jogadores, os dirigentes do Flamengo sabem bem o motivo.

Têm a certeza de que não acreditava no potencial do time.

Não queria perder mais moral.

Havia fracassado na Seleção Brasileira.

E acreditava que nada de bom poderia tirar da equipe.

Pior até.

O rebaixamento para a Série B seria uma catástrofe.

Mano e seu empresário Carlos Leite planejaram sua carreira.

A ambiciosa dupla estava tensa demais.

O time não reagia nas suas mãos.

Virou as costas mesmo com a equipe classificada na Copa do Brasil.

Para os atletas ficou claro que não apostaria um centavo no título.

Havia apenas decidido se proteger.

Pensou nele.

Não teve dúvidas em interromper o trabalho no meio.

Fez questão de dizer à diretoria que pagaria sua multa.

Tirou do bolso, satisfeito, R$ 400 mil para se livrar do Flamengo.

 O Flamengo reencontrará o técnico que pagou para deixar a Gávea. Os jogadores que poderiam ser rebaixados, e prejudicar sua carreira, ganharam a Copa do Brasil. Será a partida do rancor...

A sua saída irritou os atletas.

Eles fizeram um pacto pela conquista da Copa do Brasil.

Não jogariam por Jaime.

Mas para mostrar ao Brasil que o problema não era eles.

E sim o fraco trabalho do treinador.

O caminho foi irônico.

O time foi campeão da Copa do Brasil.

Jogando contra o mesmo Atlético Paranaense que causou a demissão.

Ficou ainda mais gostoso.

Quem teve acesso aos vestiários flamenguistas conta a empolgação.

O time todo fez questão de ironizar Mano Menezes.

E sua incapacidade de se fazer entender.

Foi a pitada de raiva na conquista do título.

4gazeta1 O Flamengo reencontrará o técnico que pagou para deixar a Gávea. Os jogadores que poderiam ser rebaixados, e prejudicar sua carreira, ganharam a Copa do Brasil. Será a partida do rancor...

A torcida não precisava ser política.

E descontou...

"O Mano, vá se ...O meu Flamengo não precisa de você..."

"Ei, Mano, vai tomar..."

As ofensas em coro dominavam o Maracanã.

Os gritos foram tão altos quanto os de comemoração pelo título.

O rancor pela saída repentina de Mano ainda era forte.

O treinador preferiu se calar.

Na madrugada de sua saída, no dia 20 de setembro, aqui foi escrito.

Ele iria para o Corinthians.

Dois meses depois, em novembro, a notícia acabou confirmada.

Substituiria Tite.

Aliás, a própria direção flamenguista tinha essa suspeita.

Ainda antes do abrupto pedido de demissão.

Sete meses depois, o time carioca reencontra o técnico.

O homem que pagou para não ter o comando dos jogadores.

A hipocrisia do futebol deverá prevalecer.

E abraços acontecerem.

Mas os dois lados sabem muito bem o que viveram.

Não há a mínima saudade de Mano em relação à Gávea.

Menos ainda dos atletas em relação a ele.

Considerado prepotente, arrogante.

Bem diferente do humilde, participativo Jayme.

Técnico que conseguiu se fazer entender.

E deu a Copa do Brasil e a vaga à Libertadores ao time.

Bem diferente da perspectiva de rebaixamento nas mãos de Mano.

Por isso tanto cuidado na preparação do Corinthians para o jogo.

Seu técnico sabe que não será apenas uma partida comum, normal.

O Pacaembu mostrará quem estava certo...
2gazeta7 O Flamengo reencontrará o técnico que pagou para deixar a Gávea. Os jogadores que poderiam ser rebaixados, e prejudicar sua carreira, ganharam a Copa do Brasil. Será a partida do rancor...

Enquanto Luís Álvaro briga para sobreviver, seu sonho acabou no Santos. De clube moderno, revolucionário virou mero dependente de um fundo de apostas. É melhor mesmo que não volte à presidência. Seu coração não suportaria a decepção…

1reproducaoface Enquanto Luís Álvaro briga para sobreviver, seu sonho acabou no Santos. De clube moderno, revolucionário virou mero dependente de um fundo de apostas. É melhor mesmo que não volte à presidência. Seu coração não suportaria a decepção...
De clube revolucionário, nacionalista, inovador...

A mero dependente de um obscuro fundo de apostas em Malta.

Bastaram dez meses e o Santos se tornou uma decepção.

Em todos os sentidos.

Não perdeu o título paulista para o Ituano por acaso.

Não há nada de moderno receber por Neymar menos que seu pai/empresário.

Muito menos implorar jogadores à Doyen Sports, de Renato Duprat.

Isso depois de comprometer R$ 42 milhões com Leandro Damião.

Atacante que veio para disputar a Copa.

Mas depois de 14 partidas, marcou apenas cinco gols.

Estragou o esquema de Oswaldo de Oliveira por sua lentidão.

E passou a ser vaiado constantemente pela própria torcida.

Sua desvalorização é impressionante.

Talvez não maior do que a de Lucas Lima.

Meia que o fundo de apostas comprou 80% do Internacional.

Por R$ 5 milhões que o Santos se comprometeu a pagar.

Atleta que não interessava a Oswaldo, é mero reserva.

Transações sem lógica alguma viraram motivo de críticas pesadas.

Sepultaram os sonhos expansionistas.

Ninguém na diretoria tem coragem de falar em novo estádio.

Em ter a maior torcida do Brasil.

Tudo ficou para trás.

O Santos regrediu a tal ponto que Odílio Rodrigues avisa.

"Não serei candidato à reeleição."

Postura bem diferente da que assumiu a presidência em agosto de 2013.

O que fez Odílio avisar que está fora?

Mesmo com a situação tendo mais de 80% dos votos na última eleição?

A resposta está com um homem de 71 anos, debilitado.

Magro, abatido e que só consegue andar apoiado em uma bengala.

Imagem inacreditavelmente oposta a quando se tornou presidente santista.

Em dezembro de 2009 enfrentou com toda energia o clã Teixeira.

Venceu Marcelo, filho de Milton, com 60% dos votos.

Publicitário competente, assumiu ser a modernidade chegando ao clube.

Sorridente, hábil nas palavras, galanteador, transpirava energia.

Pelo menos era o que gostava de aparentar.

Dizia sonhar com Bruna Lombardi, Maitê Proença.

Confessava ser perseguido por 'Marias-Cartolas'.

Pai de quatro filhas de três casamentos.

Solteiro gostava de posar como um amante da vida boa.

1afp4 Enquanto Luís Álvaro briga para sobreviver, seu sonho acabou no Santos. De clube moderno, revolucionário virou mero dependente de um fundo de apostas. É melhor mesmo que não volte à presidência. Seu coração não suportaria a decepção...

E que dedicaria seu tempo a reviver o Santos poderoso da década de 60.

Que conquistaria o mundo novamente.

Seguraria Neymar e Ganso.

"Vou mostrar que o tempo da escravidão já acabou.

Europeu nenhum vai pisar como se fosse patrão na Vila Belmiro.

Oferecer espelhinhos e levar nosso ouro que são o Neymar e o Ganso.

Chega de exportar a mais talentosa mão de obra e receber migalhas.

O Santos só liberará esses atletas quando quiser.

Quando houver outros tão talentosos que não farão falta.

Vamos enfrentar a Europa.

Acabou o tratado de Tordesilhas."

O discurso de Laor era empolgante.

Ele e seu Comitê Gestor chegavam 'para ficar'.

Enquanto jurava conquistas futuras, brigava por antigas.

E conseguiu junto a Ricardo Teixeira o reconhecimento de títulos esquecidos.

Tornou por decreto, o Santos octacampeão do país.

Taça Brasil e Roberto Gomes Pedrosa viraram Campeonatos Brasileiros.

Laor fez uma festa exagerada, que não foi levada a sério.

1ae23 Enquanto Luís Álvaro briga para sobreviver, seu sonho acabou no Santos. De clube moderno, revolucionário virou mero dependente de um fundo de apostas. É melhor mesmo que não volte à presidência. Seu coração não suportaria a decepção...

Ele sempre quis é valorizar o currículo do clube.

E passou a vender o Santos para amistosos como oito vezes campeão do Brasil.

Muito melhor do que bicampeão.

Era a vitória do marketing.

Dentro desse embalo, o clube aproveitou o surgimento de Neymar e Ganso.

O clube ganhou a Copa do Brasil, a Libertadores.

Chegou à decisão do Mundial de Clubes com o Barcelona.

E com Laor posando que não venderia nenhum dos dois jogadores.

Por mais que tivesse problema com o grupo DIS em relação ao meia.

Quanto ao atacante, avisava que desprezava propostas todos os dias.

Chelsea, Manchester United, Real Madrid, Barcelona, Bayern.

Dizia a conselheiros que dirigentes desses clubes ficavam de joelhos.

Mas Neymar não sairia antes do final da disputa da Olimpíada de 2016.

Só que a verdade veio à tona.

E ela não tinha nada de bonito.

Ao pisar no gramado perfeito de Yokohama, Neymar já não era 100% do Santos.

1reuters1 Enquanto Luís Álvaro briga para sobreviver, seu sonho acabou no Santos. De clube moderno, revolucionário virou mero dependente de um fundo de apostas. É melhor mesmo que não volte à presidência. Seu coração não suportaria a decepção...

Seu pai já havia recebido 10 milhões de euros, cerca de R$ 31 milhões.

Era um sinal do Barcelona.

Na prática a primeira parcela de compra do jogador.

Ou seja, Neymar já era parte do time catalão.

Torcida, imprensa, conselheiros todos foram enganados.

Ninguém fazia ideia do negócio.

Luís Álvaro jurou que deu apenas uma procuração a Neymar sênior.

Ele poderia buscar clube para vender o atacante.

O presidente disse que não sabia que a transação estava prometida.

Com direito até a primeiro pagamento.

A perda do Mundial acelerou a derrocada.

Neymar assinou novo contrato.

Conseguia mais direitos sobre sua imagem.

E antecipava sua permanência até o final da Copa de 2014.

Foi feito festa na Vila, quando conselheiros importantes sabiam.

A situação era fúnebre.

O centenário foi um fracasso.

O sonho do bicampeonato da Libertadores virou pesadelo.

Ganso foi vendido.

Não para capitalistas europeus.

Mas ao São Paulo mesmo.

O time naufragava.

Até que veio o golpe final.

Laor cedeu diante da pressão de Neymar e seu pai.

E o liberou para o Barcelona.

Para evitar o vexame de perder o atleta 'de graça' em junho deste ano.

Ele sabia que não havia um time forte ajudar o garoto talentoso.

Seria puro desperdício.

Foi quando explodiu a estranha transação.

Acabou negociado com o Barcelona em junho.

No dia 4 de agosto, amistoso na Catalunha.

Exigência como parte do pagamento do jogador.

Vergonha histórica.

Derrota por 8 a 0 para o novo time de Neymar.

O trauma foi tão grande que o Santos desistiu de nova partida.

Onze dias depois do vexame, Luís Álvaro pede licença de um ano do cargo.

Todos sabiam e fingiam não saber na Vila Belmiro.

A saúde de Laor era péssima.

Em 2003, ele já sofrera dois infartos.

Teve quatro paradas cardíacas.

Mas não mudou seus hábitos.

Continuou acima do peso, vivendo sob stress, tensão.

Problemas cardíacos, pulmonares o afetavam.

Além de uma traiçoeira pancreatite.

Para culminar, um acidente em uma biópsia pulmonar.

Silvia Pimentel de Oliveira Ribeiro contou o drama do irmão.

Laor chegou a ter apenas 3% de chances de sobreviver.

O colega Eduardo Marini conseguiu uma foto postada por Silvia.

É incrível o abatimento de Luís Álvaro.

Magro demais, frágil e dependente de uma bengala.

Odílio Rodrigues já sabe.

Luís Álvaro não deverá ter condições de voltar à presidência.

O cargo ficará com o vice até dezembro.

Quando haverá nova eleição.

Odílio não concorrerá.

O desgaste da estranha negociação envolvendo Neymar não permite.

Até lá o clube seguirá a nova filosofia.

Fazendo da Doyen Sports sua patrocinadora.

Vendo em Renato Duprat, homem da MSI, como seu salvador.

Depois de Leandro Damião e Lucas Lima, Odílio pediu um zagueiro.

Deu duas opções: Doria do Botafogo e Manuel do Atlético Paranaense.

Por enquanto o fundo maltês disse não, mas pode ceder.

O Santos espera.

Essa postura dependente é o inverso dos sonhos de Laor.

Ele desejava o clube poderoso, ditando as regras do mercado.

Construindo novo estádio, sendo reconhecido no Exterior.

Com a maior torcida do país.

Tudo regrediu rápido demais.

Infelizmente, assim como sua saúde.

Luís Álvaro tenha sucesso na luta pela vida.

Por que seus sonhos com o Santos acabaram há muito tempo...
2ae9 Enquanto Luís Álvaro briga para sobreviver, seu sonho acabou no Santos. De clube moderno, revolucionário virou mero dependente de um fundo de apostas. É melhor mesmo que não volte à presidência. Seu coração não suportaria a decepção...

Itaquerão já entrou para a história. É o estádio mais problemático de todas as Copas do Mundo. Mortes, acidentes, atrasos, prazos desrespeitados, preço acima de R$ 1 bilhão. “Ele estará pronto no último minuto. Último minuto”, lamenta Valcke…

1ae22 Itaquerão já entrou para a história. É o estádio mais problemático de todas as Copas do Mundo. Mortes, acidentes, atrasos, prazos desrespeitados, preço acima de R$ 1 bilhão. Ele estará pronto no último minuto. Último minuto, lamenta Valcke...
O Itaquerão já pode se orgulhar.

Já foi escolhido pelo estafe da Fifa.

É o mais problemático de todas as Copas do Mundo.

Todos os prazos foram desrespeitados.

Mesmo antes das lamentáveis três mortes de operários.

Na vistoria de hoje, outra decepção.

O único evento teste para valer não será como a Fifa desejava.

A partida entre Corinthians e Figueirense será para apenas 50 mil torcedores.

Não 68 mil.

Por causa da incerteza em relação à instalação de todas as cadeiras.

É mais uma derrota da organização.

"São Paulo estará pronto no último minuto antes da Copa.

Mas estará pronto."

Disse o secretário da Fifa, Jerome Valcker.

Sem nenhuma euforia, nem alívio.

O dirigente tem sérias desconfianças.

O Itaquerão já deu todo tipo de problema imaginável.

Se não fosse a pressão do governo federal, São Paulo ficaria sem Copa.

O estado mais rico da união não poderia ficar sem o Mundial.

Principalmente porque 2014 é ano de eleição presidencial.

Para a Fifa, o melhor dos mundos seria fazer a abertura em um estádio pronto.

Maracanã no Rio de Janeiro ou Mané Garrincha em Brasília para a abertura seriam ideal.

Mas não houve meio de dobrar o ministro dos Esportes Aldo Rebelo.

Ele é o representante de Dilma Rousseff em todos os assuntos do Mundial.

A situação ficou sem volta até pelo preço da arena.

Ao contrário do que a cúpula corintiana jurava, já passou de R$ 1 bilhão.

Mais precisamente um bilhão e cento e setenta milhões.

Mais de R$ 500 milhões de dinheiro público.

4reproducao3 Itaquerão já entrou para a história. É o estádio mais problemático de todas as Copas do Mundo. Mortes, acidentes, atrasos, prazos desrespeitados, preço acima de R$ 1 bilhão. Ele estará pronto no último minuto. Último minuto, lamenta Valcke...

Até agora.

Nada menos do que 42,6% do preço que Andrés Sanchez batia no peito.

O ex-presidente alardeava que ficaria em R$ 820 milhões.

Errou em R$ 350 milhões.

R$ 60 milhões são do aluguel das estruturas provisórias.

Os juros da demora da liberação do empréstimo do BNDES: R$ 100 milhões.

Gastos de última hora e mais juros tornaram o que todos previam.

Menos Andrés.

O Itaquerão é um estádio bilionário.

Por isso, o novo presidente do São Paulo, Carlos Miguel Aidar, ironiza.

"O estádio não é do Corinthians.

O clube vai levar 30 anos para pagar.

Só depois irá aproveitar o Itaquerão."

Aidar é muito esperto.

Sabia de todas as dificuldades que o estádio enfrenta.

Atrasos que o encarecem a cada dia.

1divulgacao6 1024x576 Itaquerão já entrou para a história. É o estádio mais problemático de todas as Copas do Mundo. Mortes, acidentes, atrasos, prazos desrespeitados, preço acima de R$ 1 bilhão. Ele estará pronto no último minuto. Último minuto, lamenta Valcke...

Para expor Andrés Sanchez, anunciou.

"O São Paulo não vai poder usar o Morumbi no dia 11 de maio.

Teremos show da banda One Direction.

Por mim, se eles puderem, o mando será revertido.

Jogaremos com prazer no novo estádio corintiano."

Aidar só queria o que conseguiu.

A resposta que o Itaquerão não estará pronto.

E o clássico acontecerá em Barueri.

Andrés também enfrenta a dificuldade em vender o naming rights.

Há quase dois anos ele tenta encontrar um interessado.

Quer empresa que pague R$ 400 milhões para batizar a arena.

Com a demora, o nome Itaquerão vai se eternizando.

Até mesmo membros da Fifa tratam informalmente o estádio assim.

Para ódio de Sanchez.

Ele sente que perde a batalha em relação à denominação Itaquerão.

Virou domínio público.

Mas vai aproveitar a sua popularidade.

E será lançado como deputado federal pelo PT.

Ordem de seu padrinho político, o ex-presidente Lula.

A direção do Corinthians apressa a finalização das obras.

Até para tentar jogar contra o Nacional de Manaus pela Copa do Brasil.

O confronto marcado para o dia 14 de maio.

Antes ainda, Andrés Sanchez quer capitalizar a obra.

E fazer uma festa de entrega simbólica do Itaquerão a Dilma Rousseff.

O ex-presidente Lula seria o convidado de honra.

Todos sabem da sua influência para que o Corinthians tivesse seu estádio.

Valcke não teve motivos para sorrir na sua vistoria do Itaquerão.

Além do absurdo atraso, ele soube da confirmação da Fifa.

Ele recebeu dinheiro de Ricardo Teixeira em 2007.

Ganhou para montar um projeto para o Brasil sediar a Copa.

Ao mesmo tempo ganhava seu salário da Fifa.

Situação que não tem nada de ética.

Se conseguiu encher seus bolsos, o desgastou.

E ainda virou motivo de irritação profunda.

Porque pouco do que recomendou a Teixeira foi colocado em prática.

Principalmente a necessidade de iniciar as arenas no máximo em 2010.

A recomendação de Valcke é que todos estivessem prontas em 2012.

Não imaginaria nunca que o estádio da abertura fosse liberado em maio.

Com menos de um mês para a abertura da Copa do Mundo.

Juntando mortes, prazos jurados e não cumpridos...

Dificuldades de transmissão de jogos e telefonia...

Preço exorbitante, bilionário.

Por tudo isso o Itaquerão merece o apelido que recebeu de membros da Fifa.

É, sem sombra de dúvidas, o estádio mais problemático de todas as Copas.

Uma 'privilégio' que São Paulo não merecia...
3ae11 Itaquerão já entrou para a história. É o estádio mais problemático de todas as Copas do Mundo. Mortes, acidentes, atrasos, prazos desrespeitados, preço acima de R$ 1 bilhão. Ele estará pronto no último minuto. Último minuto, lamenta Valcke...

Pato está ‘em casa’ no São Paulo. Com apoio de Muricy, dos companheiros, da diretoria, da torcida. Ao contrário do que aconteceu no Corinthians. Rejeitado por Tite, pelos jogadores, pelos dirigentes. Ter escolhido o Parque São Jorge para voltar ao Brasil foi seu grande erro…

1gazeta14 Pato está em casa no São Paulo. Com apoio de Muricy, dos companheiros, da diretoria, da torcida. Ao contrário do que aconteceu no Corinthians. Rejeitado por Tite, pelos jogadores, pelos dirigentes. Ter escolhido o Parque São Jorge para voltar ao Brasil foi seu grande erro...
Feliz, aceito pelos companheiros, com apoio do técnico.

Alexandre Pato está empolgado no São Paulo.

E tem a convicção que agora joga pelo clube certo.

Errou ao ter se empolgado e voltado ao Brasil para atuar no Corinthians.

A convivência no Morumbi é completamente diferente.

Demorou mas percebeu que foi envolvido em projeto ousado demais.

A estratégia envolveu a Nike, dirigentes corintianos, Milan e Gilmar Veloz.

A empresa queria uma estrela no time campeão da Libertadores.

E que estava para conquistar o Mundial.

Pato queria disputar a Copa do Mundo do Brasil.

Estava obcecado.

Sua frustração vinha desde 2010, quando foi preterido por Dunga.

Barbara Berlusconi, sua namorada na época, sabia desse desejo.

Filha do dono do Milan, ela conseguiu facilitar as coisas.

60% dos seus direitos federativos seriam vendidos ao Corinthians.

O clube italiano continuaria com 40%.

Pato viria ao Brasil para jogar no segundo clube mais popular do país.

Campeão da Libertadores e Mundial.

Com excelente trabalho médico e físico.

Com profissionais que fizeram Ronaldo esticar sua carreira.

Em um futebol de nível pior que o europeu, deveria aproveitar.

Marcar muitos gols.

Com todo o apoio da Nike, virar ídolo corintiano.

Se aproveitar da pressão da mídia e da torcida.

E ganhar um lugar fixo na Seleção.

Finalmente disputar a Copa do Mundo.

Depois, talvez em 2015, voltar ao Milan valorizado.

1reproducao23 Pato está em casa no São Paulo. Com apoio de Muricy, dos companheiros, da diretoria, da torcida. Ao contrário do que aconteceu no Corinthians. Rejeitado por Tite, pelos jogadores, pelos dirigentes. Ter escolhido o Parque São Jorge para voltar ao Brasil foi seu grande erro...

A única coisa que deu certo foi sua recuperação física.

Depois de anos sofrendo com 14 lesões musculares...

Pato estava livre e apto para jogar.

Só que o plano mostrou que havia uma falha básica.

Ninguém havia consultado Tite.

Executivos da Nike e dirigentes corintianos não previam.

Ele é o treinador mais agradecido do futebol brasileiro.

O técnico sentia que tinha de retribuir.

Se era campeão da Libertadores e do Mundial era pelos jogadores.

Pela equipe que se desdobrou por ele.

Não era justo que chegasse uma estrela internacional colocada pela Nike.

E ganhando o maior salário de todos.

Sem ter feito nada pelo clube em 2012.

A postura do técnico foi percebida por Pato.

Além da rejeição por parte dos atletas.

Não se conformavam com a badalação da imprensa em relação a ele.

De repente um jogador de fora tinha mais importância do que campeões mundiais.

Tite resolveu enfrentar a diretoria, Nike, imprensa e torcida.

Mesmo com Alexandre recuperado, seu lugar era o banco.

Até porque estava mal tecnicamente.

O tempo que passou parado na Europa se recuperando de lesões foi cruel.

Ele perdeu muito dos fundamentos de um atacante de alto nível.

Mas o que ninguém conhecia no Corinthians era a personalidade de Pato.

Mimado desde os tempos de menino no Internacional...

Nunca foi colocado como reserva.

Não era o que esperava no Parque São Jorge.

1ae21 Pato está em casa no São Paulo. Com apoio de Muricy, dos companheiros, da diretoria, da torcida. Ao contrário do que aconteceu no Corinthians. Rejeitado por Tite, pelos jogadores, pelos dirigentes. Ter escolhido o Parque São Jorge para voltar ao Brasil foi seu grande erro...

Se sentia um estranho no ninho.

Via que perdia moral com a torcida, a imprensa.

E com Luiz Felipe Scolari.

Entrava para as partidas afobado, tenso.

Tinha de mostrar que valia cada centavo dos R$ 43 milhões.

A maior contratação de todos os tempos de um clube brasileiro.

E por apenas 60% dos seus direitos.

Contava com a frieza dos companheiros.

Principalmente Sheik.

Ele não fez a menor questão de se entrosar com Pato.

A convivência era difícil demais.

Tite não interferia.

Pelo contrário até.

Se irritava ainda mais.

Porque Pato 'estragava' o seu esquema campeão do mundo.

Acostumado a ficar mais fixo à frente, sacrificava Romarinho.

O atacante que veio do Bragantino virou marcador de laterais.

Só para o 'atacante da Nike' atuar como gostava.

Romarinho não escondia de ninguém seu sacrifício.

O sonho do bicampeonato da Libertadores foi logo embora.

Carlos Amarilla teve uma atuação criminosa contra o Boca Juniors.

Mas não passou despercebido o fraquíssimo futebol de Pato.

Felipão logo viria a desistir do jogador.

Seu namoro com Barbara Berlusconi não existia mais.

Copa e retorno ao Milan estavam descartados.

Tudo que está ruim pode ficar pior.

Foi quando resolveu dar a famosa cavadinha contra Dida.

3gazeta6 Pato está em casa no São Paulo. Com apoio de Muricy, dos companheiros, da diretoria, da torcida. Ao contrário do que aconteceu no Corinthians. Rejeitado por Tite, pelos jogadores, pelos dirigentes. Ter escolhido o Parque São Jorge para voltar ao Brasil foi seu grande erro...

O Corinthians estava eliminado da Copa do Brasil.

Foi quando todos os companheiros se voltaram contra ele.

Pato teve de voltar ao hotel com Jorge Machado.

Não havia clima de retornar no ônibus da delegação.

E também não retornou no avião com o time.

O rompimento estava escancarado.

Sua relação com Tite e dirigentes esfriou de vez.

De nada adiantou a chegada de Mano Menezes.

Pato já não se sentia bem no Parque São Jorge.

Sonhava com o retorno à Europa.

Mas seu fracasso no Corinthians espantou interessados.

Os números são levados demais em conta por dirigentes europeus.

Pato só havia marcado 17 gols no futebol brasileiro.

Número baixíssimo.

Fora isso todos sabiam que não era sequer titular.

Mano avisou a Mario Gobbi que daria um 'tratamento de choque'.

Deixaria Pato como reserva para que reagisse.

Só que a ideia foi um fracasso.

Ao perceber que teria de passar pela mesma situação...

O atacante desistiu.

Mostrou desinteresse e se fechou.

Não fazia mais a menor questão de se integrar ao grupo.

E em troco recebia frieza por parte dos jogadores.

Foi quando surgiu a chance de ir para o São Paulo.

Só avisou que não receberia um centavo a menos.

Queria os R$ 700 mil combinados.

E mais os R$ 40 mil de aluguel da mansão onde mora.

A princípio, Mario Gobbi queria pagar menos.

Ou se livrar do aluguel.

Mas não houve jeito.

O Corinthians banca metade do salário do atacante.

E o pesadíssimo 'auxílio moradia'.

Ao chegar no São Paulo, Pato foi surpreendido.

Foi muito bem recebido por Rogério Ceni.

O goleiro que havia ironizado na semifinal do Paulista.

Além dele, Luís Fabiano também mostrou que iria ser seu parceiro.

Ambos dariam força um para o outro.

A dupla estava em péssima fase em 2013.

Mas a presença fundamental foi de Muricy.

O técnico havia prometido à diretoria.

E fez questão de dizer a Pato.

Seria seu titular absoluto no São Paulo.

Era tudo o que o atacante precisava ouvir.

Com o aval de Ceni e Luís Fabiano, o grupo o acolheu.

Se aproximou naturalmente de Ganso.

Outro jogador que sofreu muito com pressão.

E que perdeu a chance de disputar a Copa do Mundo.

A torcida já esqueceu que veio do rival.

E também o apoia.

Pato diz a amigos mais próximos que está 'em casa'.

Mais até.

O São Paulo deveria ter sido o clube escolhido para voltar ao Brasil.

O Corinthians foi um erro.

Apesar de ter contrato com o jogador, Nike não pode fazer nada.

A Penalty é a patrocinadora do São Paulo.

Mas isso não importa.

O que conta agora é a felicidade do atacante.

Na maior transação já feita por um clube brasileiro faltaram detalhes.

Fundamentais para que desse certo.

A opinião do técnico.

E a personalidade do jogador.

Ninguém sabia no Parque São Jorge que Tite era tão grato.

Preso emocionalmente ao time campeão mundial.

E que Alexandre Pato é tão carente, imaturo.

Quase um menino de 24 anos.

Precisa se sentir seguro para mostrar bom futebol.

Por isso tudo passou a dar tão certo no São Paulo...
1futurapress1 Pato está em casa no São Paulo. Com apoio de Muricy, dos companheiros, da diretoria, da torcida. Ao contrário do que aconteceu no Corinthians. Rejeitado por Tite, pelos jogadores, pelos dirigentes. Ter escolhido o Parque São Jorge para voltar ao Brasil foi seu grande erro...

Sheik já conseguiu jogar a torcida e o elenco do Botafogo contra ele. Mostrou a farra que fez em Angra dos Reis enquanto o time era goleado pelo São Paulo. É um suicida das redes sociais…

1reproducao22 Sheik já conseguiu jogar a torcida e o elenco do Botafogo contra ele. Mostrou a farra que fez em Angra dos Reis enquanto o time era goleado pelo São Paulo. É um suicida das redes sociais...
Sheik não aprendeu.

É um dos únicos jogadores que usam as redes sociais contra ele mesmo.

Deveria ter tirado lições importantes do beijo na boca que deu em um amigo.

Precisou se explicar para os chefes das organizadas corintianas.

Pedir desculpas.

Repetir várias vezes que não é gay.

E jurar que teria mais respeito pela camisa branca e preta.

Mas nem a diretoria ou a torcida perdoou o beijo em outro homem.

Mal foi apresentado no Botafogo e já conseguiu ter a torcida contra ele.

O motivo.

Enquanto o time era humilhado no Morumbi, não queria nem saber.

Não fez a menor questão de acompanhar a delegação.

Ou muito menos ver a partida.

Disse que precisava cuidar de sua mudança para o Rio.

Na verdade foi passear de iate em Angra dos Reis.

Estava com o cantor Latino e outros amigos.

Fez questão de tirar foto.

Nela, a alegria era geral.

Regada a uísque e champanhe.

Enquanto isso, o São Paulo goleava o Botafogo por 3 a 0.

A divulgação da foto já provoca desconforto no seu seu novo clube.

Sheik é o maior salário disparado do Botafogo.

São R$ 500 mil mensais.

Para evitar calote, o jogador fez um acordo.

Recebe todo o dinheiro do Corinthians.

E o clube carioca repassa a metade ao Parque São Jorge.

Só assim, Emerson aceitou ir para General Severiano.

Foi para o Rio.

Mostrou com orgulho sua nova morada.

Um apartamento luxuoso de frente para o mar.

Os jogadores ficaram irritados quando souberam da contratação.

Os atrasos de salários são constantes.

A diretoria costuma atrasar dois meses.

1futurapress Sheik já conseguiu jogar a torcida e o elenco do Botafogo contra ele. Mostrou a farra que fez em Angra dos Reis enquanto o time era goleado pelo São Paulo. É um suicida das redes sociais...

E, no terceiro, quando os atletas poderiam ser liberados, um mês é pago.

A folha de pagamento baixou de R$ 5 milhões para R$ 3,5 milhões.

Saíram Seedorf, Oswaldo de Oliveira e Rafael Marques.

O potencial da equipe despencou.

Sheik seria a grande atração na fase mata-mata da Libertadores.

Mas o time não conseguiu passar da primeira fase.

O elenco já fez greve por falta de pagamento.

E se ressente de comprometimento dos dirigentes.

Vagner Mancini sabe que a rejeição a Sheik é grande no elenco.

Mas não pode ir contra Maurício Assumpção.

Foi ele quem quis a contratação.

4reproducao2 Sheik já conseguiu jogar a torcida e o elenco do Botafogo contra ele. Mostrou a farra que fez em Angra dos Reis enquanto o time era goleado pelo São Paulo. É um suicida das redes sociais...

Mancini havia conversado com o jogador.

E recomendado cuidado com a exposição.

Ele precisaria se mostrar integrado.

Querendo mostrar serviço em General Severiano.

Só que logo no domingo, foi para a farra.

E não fez a menor questão de esconder.

Sheik será cobrado amanhã na reapresentação do elenco.

Membros das organizadas do clube já querem satisfação.

Seus companheiros de time avisam que já sabiam.

Ele só foi para o Botafogo por imposição da diretoria corintiana.

Não há a menor identificação do jogador com o clube.

No discurso de apresentação foi perfeito.

Falou o que todos queriam ouvir.

"Eu não venho para jogar cinquenta por cento. Venho para jogar cem por cento e todos sabem que o futebol é coletivo. Precisamos de um grupo para brigar e fazer história. Tenho minha parcela de contribuição e vou fazer de tudo para que isso aconteça. Chego com o espírito de conquistar contando com a ajuda de todos que estão aqui. O Botafogo é um desafio a mais na minha vida e não vim aqui para brincar. Quero ser diferente e vou ter uma cobrança diferente por tudo que fiz na minha carreira."

Ganhou a camisa sete do clube.

A que pertenceu a Garrincha.

Uma honra que ele já começa a não merecer.

É preciso ser muito descompromissado.

Mostrar que estava festejando enquanto seu time era goleado.

Postura que deixa claro.

Mano Menezes estava certo ao dispensá-lo do Parque São Jorge.

Sheik é um legítimo suicida nas redes sociais...
2reproducao10 Sheik já conseguiu jogar a torcida e o elenco do Botafogo contra ele. Mostrou a farra que fez em Angra dos Reis enquanto o time era goleado pelo São Paulo. É um suicida das redes sociais...

Péssimos negócios feitos por Belluzzo e Tirone com Valdivia e Wesley. Eles travam a renovação de Alan Kardec. Conselho não quer que Nobre comprometa o clube com outro contrato caro de cinco anos. Cruzeiro e Corinthians se assanham…

1fotoarena2 Péssimos negócios feitos por Belluzzo e Tirone com Valdivia e Wesley. Eles travam a renovação de Alan Kardec. Conselho não quer que Nobre comprometa o clube com outro contrato caro de cinco anos. Cruzeiro e Corinthians se assanham...
"Desanimei, joguei a toalha.

Estou aberto a propostas de outros clubes.

Não estão levando meu filho a sério no Palmeiras."

Sem meias palavras, Alan Kardec 'sênior' resumiu a situação.

Ele se cansou.

Foram três longas reuniões com a direção do clube.

E propostas baixas, por produtividade para a renovação de contrato.

O clube está irredutível.

Nem aceitou fazer um seguro para prevenir lesões de seu atacante.

O jogador não está irritado.

Profundamente triste.

Basta reparar na comemoração do seu gol ontem em Santa Catarina.

Gilson Kleina vê sinais claros de abatimento.

E insiste com José Carlos Brunoro.

Não quer perder o seu principal jogador.

Mas a situação não está fácil.

Paulo Nobre está pagando por Belluzzo e por Tirone.

Ex-presidentes que trouxeram jogadores da Europa.

Pagando caríssimo e amarrando o clube a contratos longos.

Salários altos demais.

O clube perdeu dinheiro demais com atletas que não se valorizaram.

Pelo contrário, se acomodaram com a situação privilegiada.

Foi assim com Valdívia e Wesley.

O chileno assinou contrato por cinco anos.

Entre direitos e comissões, até para o pai, custou R$ 25 milhões.

Recebe entre luvas e salários, R$ 500 mil.

Virou até piada o número de partidas que ficou de fora.

A torcida criou um 'chinelômetro' ao completar 110 sem jogar.

Só se animou o ano passado.

Porque soube que poderia disputar a Copa do Mundo.

O treinador Jorge Sampaioli é seu fã.

Milagrosamente, o meia passou a ser visto em campo.

Já em relação a Wesley houve a triste tentativa de 'vaquinha'.

O clube queria que o torcedor pagasse R$ 21 milhões pelo volante.

 Péssimos negócios feitos por Belluzzo e Tirone com Valdivia e Wesley. Eles travam a renovação de Alan Kardec. Conselho não quer que Nobre comprometa o clube com outro contrato caro de cinco anos. Cruzeiro e Corinthians se assanham...

A campanha foi um fracasso e coube ao Palmeiras a dívida exorbitante.

Tirone anunciou que ele assinou contrato por cinco anos.

Mas na verdade fechou por três.

O clube propôs mais dois, só que seu empresário recusou.

O salário de R$ 350 mil foi considerado insuficiente ao agente.

Mas os R$ 850 mil mensais gastos com dois jogadores atormentam Nobre.

O Palmeiras está no ano do seu centenário.

Deve mais de R$ 300 milhões.

Busca ao menos uma conquista em 2014.

De nada adiantou a preparação especial dos juniores.

Eles foram eliminados da Copa São Paulo pelo Flamengo de Guarulhos.

Equipe formada pelos jogadores que não serviram ao time A do Corinthians.

Depois veio o Paulista e a queda na semifinal para o Ituano.

3gazeta5 Péssimos negócios feitos por Belluzzo e Tirone com Valdivia e Wesley. Eles travam a renovação de Alan Kardec. Conselho não quer que Nobre comprometa o clube com outro contrato caro de cinco anos. Cruzeiro e Corinthians se assanham...

O clube está a nove dias de completar um ano sem patrocínio master.

A diretoria ainda está em pé de guerra com a WTorre.

Milionário, Nobre tem resolvido a falta de dinheiro.

Com uma maneira heterodoxa.

Pediu mais de R$ 85 milhões de empréstimos no seu nome.

O que tem revoltado muitos conselheiros.

Eles acreditam que o Palmeiras não pode ficar refém de ninguém.

Por isso não aceitam mais gastos exagerados com jogadores.

Mustafá Contursi já disse ao blog.

Não concorda em gastar R$ 12 milhões com Alan Kardec.

"Ele era jogador do time B do Benfica.

Nós recuperamos esse atleta.

Quase ele vai parar na Seleção.

E ainda temos de pagar R$ 12,7 milhões?

Não, não aceito uma transação dessas."

Mustafá tem grande peso entre os conselheiros mais velhos.

Quanto a quantia a ser paga ao clube português, Nobre já aceitou.

O que ele não quer é comprometer um alto salário ao atacante.

Ele garantiu em reuniões do Conselho Deliberativo.

Os exageros haviam acabado com Valdívia e Wesley.

4gazeta Péssimos negócios feitos por Belluzzo e Tirone com Valdivia e Wesley. Eles travam a renovação de Alan Kardec. Conselho não quer que Nobre comprometa o clube com outro contrato caro de cinco anos. Cruzeiro e Corinthians se assanham...

Mas é exatamente nestes salários que Alan Kardec sênior se baseia.

Não acredita que seu filho receba muito menos que a dupla.

O atacante ganha cerca de R$ 150 mil mensais.

Mais de três vezes menos que o chileno.

E menos que a metade de Wesley.

De Belo Horizonte vem a informação que o Cruzeiro se interessa.

E estaria disposto até a pagar R$ 400 mil pelo atacante.

O interesse do Corinthians já é antigo.

"Até hoje (ontem) eu estava esperando o Palmeiras.

Estou desanimado e já estou pensando em outras opções.

Estou aberto a outra opções (outros clubes).

Porque eu não quero que meu filho volte para Portugal."

Brunoro tem tentado tranquilizar Paulo Nobre.

Dizer que há até o fim de maio para fechar a negociação.

O pai de Alan Kardec já percebeu.

O Palmeiras está tentando fazer uma guerra psicológica.

Pressionar o seu filho para que ceda.

Assine o contrato por cinco anos.

E por um valor que chegaria a R$ 220 mil.

Pelo menos foi esse número que chegou a vários conselheiros.

A aposta está no trauma de Alan Kardec passou no Santos.

Clube que adorou, tanto quanto o Palmeiras, mas não foi comprado.

É uma aposta de risco.

Porque a cada boa atuação como a de ontem contra o Criciúma...

O interesse de clubes rivais aumenta.

Para variar, a diretoria palmeirense promete uma conversa definitiva.

Nesta semana aumentará a proposta.

Não como Alan Kardec sênior espera.

Mas Brunoro colocará mais dinheiro sobre a mesa.

O problema é o que o pai do jogador não blefou.

Ele está aberto a novas propostas.

Venham de onde vier.

A história da renovação vem desde o ano passado.

São quase cinco meses de desgaste.

E sua promessa é para valer.

Se o filho acertar com outra equipe, vai agir.

Não quer que Alan Kardec passe como mercenário.

Se a pressão for grande, ele vai abrir os números.

Mostrar o quanto Brunoro ofertou.

Gilson Kleina está muito preocupado.

Mas já foi avisado para não se envolver publicamente.

Do outro lado, não param de chegar pedidos dos torcedores.

Para que Paulo Nobre renove com o artilheiro.

O impasse está feio.

O Palmeiras pode sim perder o seu melhor jogador.

Se isso acontecer, o passado será responsável.

Péssimos negócios de Belluzzo e Tirone pesam até hoje.

A esperança repousa na conta bancária milionária de Nobre.

Há quem acredite que na última hora ele pode tentar agir.

Mas há chance de ser tarde.

Há rivais se articulando para tomar o jogador do Palmeiras.

E já começam a mandar seus recados a Alan Kardec sênior...
2reproducao9 Péssimos negócios feitos por Belluzzo e Tirone com Valdivia e Wesley. Eles travam a renovação de Alan Kardec. Conselho não quer que Nobre comprometa o clube com outro contrato caro de cinco anos. Cruzeiro e Corinthians se assanham...

Arílson Bispo da Anunciação e André Luiz de Freitas Castro. Os responsáveis pelo empate do Santos e na vitória do Palmeiras. Mal começou o Brasileiro e os árbitros começam a prejudicar os clubes menos poderosos. Pior para Sport e Criciúma…

1reproducao21 Arílson Bispo da Anunciação e  André Luiz de Freitas Castro. Os responsáveis pelo empate do Santos e na vitória do Palmeiras. Mal começou o Brasileiro e os árbitros começam a prejudicar os clubes menos poderosos. Pior para Sport e Criciúma...
A primeira rodada do Brasileiro já revolta.

A credibilidade da disputa foi ferida.

Em dois lances claros, dois árbitros não tiveram dúvida.

Favoreceram os clubes de maior tradição, mais força nos bastidores.

Vexames na Vila Belmiro e no Heriberto Hülse.

Sport Recife e Criciúma foram de maneira constrangedora prejudicados.

O Santos empatou em um gol em impedimento.

E o Palmeiras cometeu pênalti escandaloso quando perdia por 1 a 0.

Arílson Bispo da Anunciação e André Luiz de Freitas Castro.

Eles tiveram coragem de não enxergar lances fáceis.

O primeiro chocou até os jogadores do Santos.

O time perdia para o Sport.

Gol de Neto Baiano.

Oswaldo colocou sua equipe na frente.

Adiantou a marcação por pressão.

Subiu os laterais, mas não conseguia marcar.

Leandro Damião, para variar, errou um gol de forma infantil.

Recebeu de Thiago Ribeiro e livre diante de Magrão, chutou fora.

Os torcedores santistas já xingavam a equipe.

Raiva que carregam desde a perda do Paulista para o Ituano.

Foi quando aos 34 do segundo tempo, Geuvânio bateu forte.

Gabriel em clara posição de impedimento cabeceou para as redes.

Ficou paralisado depois da bola entrar.

Sentia estar adiantado.

Só depois do gol confirmado por Arílson Bispo da Anunciação, vibrou.

Mas ficou com a óbvia dúvida.

"Eu estava impedido?", perguntou aos repórteres ao final da partida.

Jogadores, Eduardo Baptista e os dirigentes nordestinos estavam revoltados.

Sabiam que haviam sido tremendamente prejudicados.

Poderiam voltar para Pernambuco com três pontos de uma importante vitória.

Mas o árbitro não deixou.

Pior ainda para o Criciúma de Caio Júnior.

O time catarinense vencia o Palmeiras.

Paulo Baier cobrou falta e Alan Kardec desviou para as próprias redes.

Desajustado, o Palmeiras partia para a frente.

Queria ao menos empatar o jogo.

Gilson Kleina também mandou seu time ao ataque.

Corria risco nos contragolpes.

Silvinho já tinha criado chances de ampliar.

Aos 12 minutos do segundo tempo, o lance foi inacreditável.

Ou melhor, os lances foram inacreditáveis, no plural.

Silvinho invadiu a área e Tiago Alves entrou de maneira estabanada.

Acertou com a sola da chuteira na sua barriga.

E em seguida tocou a mão na bola.

Em três segundos conseguiu fazer dois pênaltis.

Mas cadê coragem para André Luiz de Freitas Castro?

O árbitro deve ter deixado em Goiânia.

Não marcou nenhum deles.

O Palmeiras foi à frente e conseguiu virar a partida.

Na raça, no coração.

Se tivesse perdendo a partida por 2 a 0, talvez não tivesse a mesma raça.

2gazetapress Arílson Bispo da Anunciação e  André Luiz de Freitas Castro. Os responsáveis pelo empate do Santos e na vitória do Palmeiras. Mal começou o Brasileiro e os árbitros começam a prejudicar os clubes menos poderosos. Pior para Sport e Criciúma...

E o time catarinense poderia segurar a vitória.

O que importa é que foram dois lances capitais.

Criciúma e Sport foram muito prejudicados.

A CBF precisa acordar.

Fazer algo de verdade.

Pensar em profissionalizar os juízes.

Eles estão cada vez piores.

Influenciando demais no resultado dos jogos.

Principalmente a favor dos clubes tradicionais.

Oswaldo de Oliveira e Gilson Kleina estão aliviados.

Escaparam de derrotas que poderiam ser desastrosas.

Mas não estavam animados nas suas coletivas.

A consciência doía.

Sabia que os resultados não vieram de jogadas ensaiadas.

Mas sim da incompetência de dois árbitros.

Ao final do Brasileiros, que Sport e Criciúma não se esqueçam.

Se precisarem de pontos para sobreviver na Primeira Divisão.

Dois pontos foram tirados dos pernambucanos.

Os catarinenses podem lamentar três.

Quando essas equipes estiverem desesperadas, se lembrem.

Os nomes são inesquecíveis.

Arílson Bispo da Anunciação e André Luiz de Freitas Castro.

Se recordem daqueles que começaram a atrapalhar o caminho.

Travar a sobrevivência na Série A.

Lembrem bem desses árbitros.

Porque eles não lembrarão desses clubes.

Pelo que tiveram coragem de fazer hoje, não há dúvida.

Eles ainda vão prejudicar muitos outros times.

Não por maldade, por pura incompetência.

E medo.

Seguem pela cartilha dos fracos juízes.

Em caso de dúvida, por pura coincidência...

O clube maior é sempre favorecido.

O mais poderoso nos bastidores não tem do que reclamar.

Triste abertura do Brasileiro de 2014...
1gazeta13 Arílson Bispo da Anunciação e  André Luiz de Freitas Castro. Os responsáveis pelo empate do Santos e na vitória do Palmeiras. Mal começou o Brasileiro e os árbitros começam a prejudicar os clubes menos poderosos. Pior para Sport e Criciúma...

Página 1 de 45112345...Último