Tite comanda treino para despedida contra o Chile 091017 2 218x300 Eliminatórias: o Brasil acerta as contas com o Chile

Eliminatórias: Tite comanda treino da despedida (Foto: Pedro Martins/MoWA Press)

O Brasil de Tite não terá um jogo fácil ao se despedir das Eliminatórias às 20h30 no Allianz Parque.

O Brasil foi derrotado uma única vez nestas Eliminatórias, logo na estreia, ainda sob o comando de Dunga e sem Neymar em campo – no dia 8 de outubro de 2015, em Santiago, 2 a 0 para o Chile de Jorge Sampaoli.

O Chile precisa de outra vitória nesta terça-feira para garantir a classificação direta para a Copa da Rússia independentemente dos resultados de Peru x Colômbia, Equador x Argentina e Paraguai x Venezuela.

Se empatar, muito provavelmente fará a repescagem com a Nova Zelândia – a menos que o Paraguai enfie uma improvável goleada de oito na Venezuela!

Se perder ...

Não será fácil, então, a noite de Ederson, Daniel Alves, Marquinhos, Miranda, Alex Sandro, Casemiro, Paulinho, Renato Augusto, Philippe Coutinho, Neymar e Gabriel Jesus.

Mais difícil, porém, será a tarefa de Bravo, Isla, Medel, Jara, Beausejour, Silva, Hernández, Pulgar, Valdívia, Alexis Sánchez e Vargas.

(Juan Antonio Pizzi escalou nove dos 11 titulares daqueles 2 a 0 de 2015; Tite manteve apenas Daniel Alves, Miranda e Marquinhos no time que hoje brigará para devolver aquela derrota.)

Em 71 confrontos com o Chile, desde o 1 a 1 de 8 de julho de 1916 pelo Campeonato Sul-Americano de Seleções, o Brasil perdeu apenas oito, empatou 14 (no último, 1 a 1 nas oitavas de final da Copa de 2014, acabou vencendo por 3 a 2 a decisão nos pênaltis) e coleciona 49 vitórias.

Os chilenos são fregueses, sim, embora Tite acertadamente encha a bola do time atual:

- Nos últimos dois anos, Brasil e Chile são as duas equipes que apresentam o melhor futebol na América do Sul. O Chile está oscilando agora, mas vem muito bem nos últimos anos, e o Brasil está retomando um padrão alto de exigência.

Tem mais: a Seleção nunca foi derrotada em casa em toda a história das Eliminatórias.

Nesta edição, ainda na quinta rodada, empatou com o Uruguai no Recife, mas venceu todos os outros sete jogos disputados em campos brasileiros.

Em São Paulo, que carrega a fama de nem sempre acolhê-la bem, a Seleção foi derrotada pela  última vez em 3 de junho de 1964, no Pacaembu, em jogo pela Taça das Nações: 3 a 0 para a Argentina.

Neymar da Silva Santos, o pai, tinha um ano de idade.

De lá para cá, a Seleção fez outros 29 jogos em São Paulo, venceu 20 e empatou nove.

Contando apenas os dez jogos das Eliminatórias, são nove vitórias (incluindo os 3 a 0 sobre o Paraguai pela 14ª rodada, em 28 de março deste ano,  no Itaquerão) e um único empate (1 a 1 com a Bolívia em 1985).

Não será hoje que Neymar, o filho, vai permitir que se quebre o tabu. Espera-se mais uma alegria na noite em que o Brasil se despede das Eliminatórias e de sua torcida na preparação para a Copa da Rússia.

http://r7.com/yUqi