Cássio vai para a Seleção @110817@ 300x203 Cássio é melhor para a Seleção do que Vanderlei

Cássio: na briga para ir à Copa na Rússia – Foto: Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians

Embalado pela campanha irrepreensível e pelo bom futebol até agora mostrado nas Eliminatórias, o Brasil de Tite tem um problema – ou será apenas um dúvida? – no caminho para a conquista do hexa mundial em 2018: quem vestirá a camisa 1?

Lamenta-se que a Seleção não tenha um goleiro à altura de um Buffon ou de um Neuer, embora o nosso Ederson, que vai fazer 24 anos na próxima quinta-feira, seja uma promessa de que em breve o teremos. Já na Copa da Rússia?

Provavelmente, não, até porque a camisa 1 continua sendo de Allison, que fará 25 em outubro, e tanto Tite quanto Taffarel ainda parecem em dúvida sobre o trio que disputará a posição na Copa do Mundo.

Hoje, aos dois soma-se o trintão Cássio.

Os três passaram pelas seleções de base, mas o gaúcho Alisson Ramses Becker, embora pouco venha jogando pelo Roma, é o único com razoável experiência na Seleção. Titular desde 2015, ainda na última era Dunga, foi o goleiro em 13 dos 14 jogos nas Eliminatórias, nos quais sofreu oito gols, apenas dois sob o comando de Tite.

Por isso, é o titular. Nem por isso, porém, tem total confiança da torcida e dos críticos.

O paulista Ederson, convocado também por Dunga, ainda não teve chance de jogar.

Cássio, outro gaúcho, chamado anteriormente por Mano Menezes, por Dunga e pelo próprio Tite, também nunca jogou pela Seleção.

A Copa do Mundo está aí e corremos, pois, o risco de encará-la com um goleiro pouco ou nada testado com a camisa 1 da Seleção.

Curiosamente, porém, críticos e palpiteiros das redes sociais dedicam-se desde ontem a malhar a dupla Tite/Taffarel por ter preferido o corintiano Cássio ao santista Vanderlei na convocação para os jogos contra o Equador e a Colômbia nas próximas rodadas das Eliminatórias.

E as críticas vão ficar mais apimentadas depois da grande exibição de Vanderlei no 1 a 0 sobre o Atlético Paranaense que ontem sacramentou a classificação do Santos para as quartas de final da Libertadores.

Aos 33 anos, o paranaense Vanderlei é um grande goleiro, mas paga o preço de ter chegado muito tarde ao Santos, apenas em 2015, depois de oito temporadas no Coritiba. É o mais inexperiente de todos em grandes competições.

Com 12 anos de profissionalismo, tem seis títulos paranaenses (um pelo Paranavaí, cinco pelo Coritiba), dois paulistas (pelo Santos) e dois da Segundona (pelo Coritiba).

No mesmo período, Cássio foi campeão gaúcho (pelo Grêmio), duas vezes campeão paulista, campeão brasileiro, campeão da Libertadores e campeão mundial de clubes (sempre pelo Corinthians).

E voltou do Japão em 2012 com a Bola de Ouro dada ao melhor jogador daquele Mundial.

Meu chefe Luiz Cesar Pimentel que me desculpe, mas Tite e Taffarel fizeram a escolha certa.

Ou alguém gostaria de ver a Seleção Brasileira na Copa do Mundo defendida por um goleiro sem nenhuma experiência internacional relevante?

http://r7.com/UJdX