Posts com a tag: seleção brasileira

Faltam 150 dias para a Olimpíada. Falta uma seleção de futebol

hulk gol grande Faltam 150 dias para a Olimpíada. Falta uma seleção de futebol

O mau futebol contra a Bósnia e o placar apertado de 2 x 1 poderiam ser amenizados se um time com vários jogadores olímpicos estivesse em campo.

A defesa estava em casa. Mais furada que um queijo suiço.

Aí os olímpicos que começaram o jogo : Sandro, Leandro Damião e Neymar.

Ronaldinho Gaucho já jogou olimpíada de Sydney 2000 e de Pequim 2008 e pouco fez nas duas.

Mas os jogadores com idade olímpica tentavam ajudar o Gaúcho, o que era difícil e o time tocava mal.

Segundo tempo e as entradas de Ganso e Lucas deram uma forma mais jovem e rápida a equipe.

Muitos toques que deram a entender que os jogadores até 23 anos estão numa melhor fase e muito mais dispostos em campo.

A seleção olímpica preocupa, mas tem talento e material humano.

Tem os laterais Danilo e Alex Sandro, ainda Ganso, Lucas, Oscar, Leandro Damião e Neymar.

Pode usar 3 jogadores acima de 23 anos que tenham atuado em Copa do Mundo.

É uma das maiores chances de chegar ao sonhado ouro olímpico. Basta colocar o time mais jovem para encarar os futuros adversários do Brasil.

Creio que o caminho do Brasil para a Copa 2014 passa pelos Jogos Olímpicos de Londres 2012.

Assim é só botar a molecada para correr e jogar.

Veja mais:
+ R7 BANDA LARGA: provedor grátis!

+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia

+ Todos os blogs do R7

Marta e Neymar- O peso do talento

neymar marta blog Marta e Neymar  O peso do talento

Fim de semana mostrou o contraste do esporte.

Na Alemanha, Copa do mundo de futebol feminino, Brasil e Estados Unidos, valendo uma vaga.

Marta parecia uma ilha: talentosa, cercada pelo lugar comum.

Diz o ditado que uma andorinha só não faz verão. MARTA fez!

Os Estados Unidos tem no futebol feminino uma bandeira. É o primeiro esporte escolar favorito das meninas nas escolas do país. Time já foi campeão olímpico e mundial e teve Mia Hamm como a melhor do mundo. Marta ignorou tudo. Foi para cima das norte-americanas, marcou dois gols e só não fez mais, pois os EUA empataram no final da prorrogação.

Na decisão por pênaltis, o fator psicológico estava ao lado delas. Bem preparadas no corpo e mente. Marta mais uma vez provou que é a melhor do mundo. Mas ficou pelo caminho.

Enquanto isso, na Copa América, todos cobram a atuação de Neymar igual a Libertadores. Discutem o penteado do jogador e até dizem que Dunga fez o certo ao não convocá-lo para a Copa da África. O que  esquecem é que Neymar não parou. Não tirou férias e está em atividade desde janeiro de 2010. Nas férias de janeiro desse ano, ele estava no Pré-Olímpico comandando a classificação do sub-19 do Brasil, enquanto nosso futebol profissional descansava, em férias.

Aos 19 anos, Neymar vive sua primeira competição oficial na seleção principal. Desequilibrou nesse ano e meio para o Santos, mas hoje está bem marcado. Às vezes até por TRÊS ADVERSÁRIOS e o resto do time não se apresenta.

Agora a seleção brasileira vive um drama: a Venezuela é líder do grupo e o Brasil tem que vencer o Equador para passar a fase seguinte. Muitos estão nervosos com isso. Eu penso que se o futebol brasileiro tem medo do Equador é melhor repensar a atual seleção. Tenho certeza que o time vai jogar melhor e passar para a segunda fase. Quanto a Neymar ele tem muito que mostrar. Vai fazer as pazes com o gol, seu passaporte para o futuro.

Os gols de Neymar na seleção podem colocá-lo em outro patamar. Por enquanto é craque no Santos e promessa na seleção. A bola está em jogo e só depende dele.

Veja mais:
+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Amarelinha e Ronaldo, o último adeus

00348278 Amarelinha e Ronaldo, o último adeus

O mundo inteiro está falando de Ronaldo, reverenciando aquele que foi um dos maiores jogadores da história do futebol mundial.

Homenagem mais do que merecida.

Fez parte da mais vitoriosa geração do futebol brasileiro nas Copas do Mundo: campeã em 94, vice em 98, campeã em 2002 e eliminada nas quartas de final em 2006.

Vale lembrar que a geração de Pelé, a turma do bi mundial de 58 e 62 parou em 66, na eliminação precoce na Inglaterra. Pelé foi campeão mundial no México-70 com outra equipe.

Ronaldo deu a lição de vida de um herói mitológico. Depois da brutal contusão na Inter conseguiu voltar e comandar Brasil na Copa de 2002 na conquista do Penta.

Comparar Ronaldo com qualquer um é muito difícil.

Na minha seleção brasileira imaginária, com os maiores de todos os tempos, ele é o camisa 9 de um ataque com Garrincha e Pelé.

E a despedida do Ronaldo da seleção brasileira?

Quando vão começar a pensar na homenagem a um dos maiores da história no planeta?

Todos querem ver Ronaldo com  Neymar no ataque passando o bastão para essa nova geração.

Ronaldo merece uma despedida nos cinco continentes, um jogo em cada lugar.

A hora é agora, ou vamos esperar os italianos e espanhóis?

Ronaldo já com a amarelinha e suas duas últimas estrelas que ele ajudou a ganhar.

Muito obrigado por tudo Ronaldo.

Veja mais:
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Neymar começa a corrida ao ouro olímpico

neymar efe gonzaloalfaro Neymar começa a corrida ao ouro olímpicoBrasil 4 x Paraguai 2.


Até hoje nunca um time brasileiro foi sensação de pré-olímpico. Exceto aquele que jogou em 2004 e perdeu para o Paraguai por 2 x 1 com vários jogadores de seleção brasileira como Alex, Diego, Robinho e Adriano Imperador.


No Peru, o combinado San-São entrou em campo para brigar pela vaga olímpica contra o aguerrido Paraguai, que fez o antijogo. Marcou no campo adversário com entradas violentas e tentativa de intimidação. Mas esqueceram de avisar Neymar.


Por aqui, ele apanha em todos os jogos do Santos, mas seu talento no pré-olímpico já apareceu quando começou a controlar o jogo e acalmar os brasileiros.


Neymar não deixou por menos e marcou quatro gols. Isso mesmo, quatro gols que o colocam como o maior destaque dessa edição do torneio.


O primeiro foi de pênalti. O segundo gol no seu estilo, passando por dois adversários pela esquerda, invadindo a área e tocando no pé de apoio do goleiro. Parecido com seu gol, indicado pela Fifa como um dos mais belos do ano passado.


O terceiro gol veio na hora do sufoco. Brasil com um jogador a menos e Neymar pegou uma sobra de bola para marcar e aliviar.


Mas o quarto gol é daqueles inesquecíveis. Lucas fez um lançamento de trivela e Neymar foi com tudo e, quando percebeu o goleiro paraguaio adiantado, tocou com o pé esquerdo.


Placar final:  Brasil 4, Paraguai 2.


Os quatro gols de Neymar transformam a seleção brasileira na favorita. Mais do que isso, na equipe que tem o jogador que desequilibra.


A construção da carreira de Neymar tem um ano, sempre jogando com os mais velhos. Na seleção adulta estreou contra os Estados Unidos, em New Jersey, e marcou de cabeça.


No Santos de 2010 foi o grande artilheiro, com 42 gols.


Agora ele mostra que decide mesmo. Quatro gols numa estreia de um torneio como esse podem elevá-lo ainda mais.


Afinal, qual é o limite de Neymar?


Veja mais:


+ Leia mais sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

O sonho olímpico do futebol

bandeira bola ok O sonho olímpico do futebol


O pré-olímpico do Peru vai decidir o destino da seleção brasileira em mais uma  tentativa da medalha de ouro olímpica.


Sempre esbarramos em fatores externos ou seleções mais fortes no caminho do pódio.


Nos anos 50 não dava para pensar nisso. Os países socialistas iam com tudo para a briga, como a incrível seleção húngara de Puskas, que venceu todos em Helsinque-52. Ou a máquina soviética com o maior goleiro da história, Lev Yashin, ouro em Melbourne-56.


O Brasil entrou nos eixos nos anos 70, quando mandou uma treinada seleção de novos jogadores para Montreal-76 e encarou todo mundo - URSS, Alemanha Oriental e Hungria.


Um time que revelou Edinho, os laterais Mauro e Rosemiro, o volante Batista e o craque Junior, campeão mundial pelo Flamengo. Só que o Brasil ficou em quarto lugar.


1984 - o time do Internacional, reforçado por alguns jogadores, foi para Los Angeles e ficou com a prata - Derrota na final para a França de Fernandez.


Seul-88 - Neto jogou, mas Tafarell e Romário deram as cartas e chegaram à final contra a temida União Soviética e mais uma medalha de prata.


Em Atlanta-96, nossa mais forte equipe da história ficou em terceiro lugar com Dida, Aldair, Flavio Conceição, Roberto Carlos, Bebeto, Rivaldo e Ronaldo Fenômeno. Bronze, só bronze.


Mas vamos falar de pré-olímpico?


Em 2004, com a base do Santos e Ricardo Gomes dirigindo, o Brasil vacilou e perdeu. Alex (Chelsea), Diego, Adriano Imperador e Robinho não superaram o Paraguai e perderam por 2 x 1, com muitas chances desperdiçadas.


Só que a final da medalha olímpica foi entre Paraguai e Argentina. Com Gamarra, os paraguaios foram à final, mas não resistiram a Saviola e Tevez. Ouro Argentina e prata Paraguai em Atenas 2004.


Pequim 2008 mostrou o Brasil com mais vontade e com Ronaldinho Gaúcho, mas não foi páreo para a Argentina nas semifinais.


Messi, Aguero e Di Maria liquidaram o Brasil por 3 x 0 e garantiram o ouro na decisão com a Nigéria.


Nas duas últimas olimpíadas - Atenas 2004 e Pequim - 2008, Argentina foi ouro.


Nos últimos Jogos Olímpicos, em Pequim, o Brasil ficou com o bronze e agora quer muito mais.


Só que o caminho do ouro passa pelo pré-olímpico do Peru e suas dificuldades.


Veja mais:


+ Leia mais sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Quém é o supertécnico?

Há muito tempo atrás, o mundo do futebol comentava que não era preciso ser um grande técnico para dirigir a seleção brasileira de Pelé e Garrincha. Bastava distribuir as camisas e pronto, eles decidiam.

Mas não era bem assim.

Em 1958 foi montada uma comissão técnica com preparador físico, médico, dentista, psicólogo, observador e tudo mais que tinha direito. Base para o que viria nos anos seguintes.

Hoje, o técnico assumiu uma função de relevância nas equipes e muitos conseguem resultados surpreendentes com elencos limitados e se transformam nos supertécnicos.

Casos de Vanderley Luxemburgo e Luiz Felipe Scolari.

Luxemburgo 450 Quém é o supertécnico?

Foto: Reprodução

Felipão 450 Quém é o supertécnico?

Foto: Reprodução

Luxemburgo começou com as glórias do Bragantino, campeão da série B e do Paulistão-1990. Foi ainda campeão do BRASILEIRÃO cinco vezes.

Felipão conduziu o Criciúma ao título da Copa do Brasil em 1991 - O maior resultado da história do futebol catarinense. Depois ganhou Brasileirão e Libertadores com Grêmio e Palmeiras.

Foi penta-campeão com a seleção brasileira e a campanha perfeita-7 jogos , 7 vitórias.

Mas e hoje?

Com o Atlético-MG, Luxemburgo faz uma má campanha com apenas 17 pontos. Contra o São Paulo, em Ipatinga, chegou a virar o jogo para 2 x 1, mas tomou outra virada 3 x 2 e perdeu.

O Atlético Mineiro continua na temida Zona de rebaixamento ao lado do Atlético, Grêmio, Prudente e Goiás.

Por falar em virada, o Palmeiras de Felipão levou uma. Depois de estar vencendo por 2 a 0 no Pacaembu levou 3 gols do Cruzeiro, que disparou na tabela e está com 31 pontos, junto com Santos, Botafogo e Inter-RS. Enquanto isso,o Palmeiras tem 24 pontos até aqui.

E o toque de Midas dos dois técnicos ?

Luxemburgo nem relacionou Diego Tardelli, jogador que está até na atual seleção brasileira.

Felipão tirou Valdivia, que custou uma fortuna aos cofres do clube e colocou Tinga, que nada fez.

O que está acontecendo com aqueles que dominaram o futebol brasileiros nos últimos 20 anos?

Felipão perdeu para Cuca, que admira o professor e disse que aprendeu muito com ele. No Cruzeiro, Cuca tem evoluído muito e o time está jogando bem.

Luxemburgo foi superado pelo pressionadíssimo Sérgio Baresi. Aquele que é o interino e que vem crescendo com o time.

Luxemburgo e Felipão estão fora da disputa e os novos técnicos tomaram conta do show. Muricy com o líder Fluminense e Adilson com o vigoroso Corinthians. E mais atrás vem Dorival Jr. com o Santos; Celso Roth do Inter-RS;o folclórico Joel do Botafogo e Cuca do Cruzeiro, todos brigando pelo BRASILEIRÃO de 2010.

Algo que está longe dos sonhos dos supertécnicos.

Muito distante.

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Veja os destaques do dia
+ Conheça todos os blogs do R7

Era Dunga, parte 2

Itália, 1990.

O técnico Sebastião Lazaroni resolveu inovar e montou um time fora das características do futebol brasileiro: três zagueiros e um meio-campo forte na marcação. Deixou o melhor jogador fora do time - Neto, do Corinthians - e foi para a Copa.

Foram 4 jogos: 3 vitórias e uma derrota.

Vitórias sobre Suécia (2 x 1), Costa Rica (1 x 0) e Escócia (1 x 0).

Derrota para a Argentina por 1 x 0 e a desclassificação nas oitavas.

Lazaroni montou um time forte na defesa. A prioridade era evitar gols. Tudo para apagar a imagens das Copas de 82 e 86, quando o Brasil dirigido por Telê Santana jogou bonito, bem, encantou o mundo e perdeu.

O time de 90 jogou feio. Jogou mal e perdeu.

Esse período nebuloso da história do futebol brasileiro foi conhecido como a "Era Dunga".

Nos dias de hoje, nessa fase pré-copa do mundo, Dunga tem um bom time titular, com alguns jogadores se recuperando de contusões e reservas, que são suplentes nos seus clubes.

O Brasil de 2010 vai jogar no contra ataque, boa estratégia diante das grandes seleções como Alemanha, Argentina e Espanha.

Tática pouco eficaz contra equipes sem expressão,quando é preciso surpreender e furar as defesas.

Na coletiva, Dunga falou dos grandes resultados brasileiros sobre seu comando como o titulo da Copa América e da Copa das Confederações .

Lá na Africa,na Copa das Confederações, a seleção deu um show na Itália- 3 x 0,mas passou sufoco contra Egito( 4 x 3) e Estados Unidos( 3 x 2).

Na história de Dunga, ele tem um retrospecto de vitórias como técnico da seleção, mas agora é a hora da verdade.

Qual será a história desse time na copa?

Um fiasco como na Itália-90 ou um sucesso como nos EUA-94?

A única certeza é que não será como no México-70 ou Ásia-2002.

Veja mais:

+ Todas as notícias da Copa 2010 no R7
+ Conheça os estádios e cidades do mundial da África do Sul
+ Todos os blogs do R7

O jeito Dunga de ser…

 O jeito Dunga de ser...

A expressão "Dia D" foi criada para grande operações militares, como o desembarque na França na Segunda Guerra Mundial.

Dia D era usado pelo alto comando aliado (EUA e Inglaterra). Nesta terça feira,11 de maio,o futebol brasileiro terá seu "Dia D". Dunga vai chamar os jogadores para a Copa do Mundo.

Serão 23 ou 30? Os 23 que eu acho que Dunga vai convocar são esses:

Goleiros

Julio Cesar (Inter de Milão)
Doni (Roma)
Victor (Grêmio)

Laterais

Maicon (Inter de Milão)
Daniel Alves (Barcelona)
Michel Bastos (Lyon)
Gilberto (Cruzeiro)

Zagueiros

Lúcio (Inter de Milão)
Juan (Roma)
Luisão (Benfica)
Thiago Silva (Milan)

Volantes

Gilberto Silva (Panathinaikos)
Felipe Melo (Juventus)
Josué (Wolfsburg)
Thiago Motta (Inter)

Meias

PH Ganso (Santos)
Elano (Galatasaray)
Kaká (Real Madrid)
Júlio Baptista (Roma)

AtacantesNilmar (Villarreal)
Grafite (Wolfsburg)
Luís Fabiano (Sevilla)
Robinho (Santos)

Caso sejam 30 convocados, creio que estes poderão ser chamados:

Adriano (Fla), Ronaldinho Gaúcho (Milan), Diego Tardelli (Galo), Neymar (Santos) e Roberto Carlos (Corinthians).

Santistas radicais pedem ainda Arouca e Wesley. Com os exames médicos e testes fisicos no início, Neymar e Roberto Carlos vão se dar muito bem. 

Para os técnicos do brasileirão, Paulo Henrique Ganso tem que ser convocado para a reserva de Kaká. É a voz dos especialistas. 

Acho que seleção é momento, e hoje, temos jogadores excelentes para chegar bem ao HEXA. Dunga vai manter o time titular, mas e os reservas que nem jogam em seus clubes? 

Casos de Doni, Michel Bastos, Nilmar e Julio Baptista que amargam a reserva na Europa.  

Será que não há meritocracia na seleção?

Veja mais:

+ Tudo sobre a Copa do Mundo 2010 no R7
+ Escalação de Álvaro José para a Copa da África
+ Todos os blogs do R7