Posts com a tag: Pan-Americano

Brasil surpreende no quadro de medalhas

A princípio, todos esperavam que o Brasil se saísse bem melhor do que em Santo Domingo 2003, mas inferior ao Rio 2007.

Em Santo Domingo 2003, foram 29 ouros para o Brasil.

No Rio 2007, 54 medalhas de ouro.

40 medalhas de ouro seriam um grande resultado.

Até agora foram 47. E vem mais por aí.

O time B masculino de vôlei deu um show contra Cuba e levou o ouro.

O vôlei foi o esporte 100%.

Na praia, Alisson e Emanuel vieram cumprir tabela.

foto1 Brasil surpreende no quadro de medalhas

Juliana e Larissa passaram sufoco, mas ganharam.

As meninas, campeãs olímpicas, ganharam também.

E os homens, com o superbloqueador Gustavo garantiram o título num 3 x 1 contra Cuba.

O país do vôlei mostrou que tem nível olímpico nesse esporte.

brasil campeao Brasil surpreende no quadro de medalhas

Fomos muito bem em Guadalajara?

Sim, mas poderia ser melhor.

Algumas medalhas eram esperadas, mesmo.

Como a da Fabiana Murer no salto com vara. A campeã do mundo foi  prata.

E o futebol feminino? Que perdeu vários gols no segundo tempo e ainda tomou um gol de cabeça com a goleira no meio da área.

O basquete feminino nem é bom falar. Era o time mais forte em Guadalajara.

brasileiras choram Brasil surpreende no quadro de medalhas

A derrota foi um baque.

Já o basquete masculino veio desfalcado e já classificado para Londres 2012. Jogou sem apetite.

A fome para a vitória é fundamental num evento poliesportivo.

A ganância pela medalha constrói os mitos esportivos.

Robson Conceição Wander Roberto COB1 Brasil surpreende no quadro de medalhas

E o boxe que pegou 7 medalhas - 2 pratas e 5 bronzes - sai como vencedor.

Há um tempo a modalidade nem chegava ao pódio, agora participa de decisões.

foto2 Brasil surpreende no quadro de medalhas

O que faltou para bater Cuba?

Nada.

Cuba ganhou 59 ouros no Pan do Rio 2007 contra 54 do Brasil.

Agora não seria diferente.

Cuba ficou na frente no quadro de medalhas, só que estamos muito perto.

A virada será em Toronto 2015.

O motivo é simples: o Pan canadense será um ano antes dos jogos olímpicos do Rio 2016.

Isso fará a diferença no quadro de medalhas.

Nosso esporte olímpico vai viver um momento de aceleração.

E nós vamos conferir tudo.

Veja mais:
+ R7 BANDA LARGA: provedor grátis!

+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia

+ Todos os blogs do R7

 

 

 

Natação brasileira na corrida do ouro

Após o mundial de Xangai todos esperavam um show.

Afinal, o Brasil ganhou quatro ouros.

Mas quando ele se  torna real a sensação é bem melhor.

No primeiro dia das piscinas veio um ouro com Thiago Pereira e três pratas.

Thiago Pereira Agif 700x525 Natação brasileira na corrida do ouro

Medalhas que turbinaram o dia brasileiro e possibilitaram o melhor início de um Pan de todos os tempos.

Nunca o esporte brasileiro começou tão bem a olimpíada das Américas.

No segundo dia das competiçoes, as piscinas viram a estreia de Cesar Cielo e ainda uma dobradinha.

cielo2 t 20111017 Natação brasileira na corrida do ouro

Nos 100 m, Felipe França mostrou porque é  campeão mundial dos 50 m peito.

O segundo colocado foi Felipe Lima.

Ouro e prata para o Brasil.

E Cesar Cielo numa estreia devastadora levou os cem metros e conduziu o revezamento brasileiro para outro ouro.

Nicholas Oliveira, Nicholas Santos e Bruno Fratus garantiram a festa da torcida.

kaio450x338 Natação brasileira na corrida do ouro

Mas ainda tem mais: Kaio Márcio, Guilherme Guido,Thiago Pereira estão nas finais de hoje  e mais  festa deve vir por aí.

Veja mais:
+ R7 BANDA LARGA: provedor grátis!

+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia

+ Todos os blogs do R7

A festa é nossa!

Quando o Brasil entrou no estádio para a abertura, os mexicanos mostraram por que estamos em casa aqui em Guadalajara.

Uma festa latino- americana entre dois países irmãos.

Guadalajara é a sede da maioria dos jogos da seleção brasileira de futebol na história das Copas do Mundo - 5 jogos em 1970 e 5 jogos na copa de 1986, até a eliminação fatídica contra a França nos pênaltis. 10 jogos em Copas.

Por isso, toda a emoção do público mexicano quando Hugo Hoyama entrou. A bandeira mexicana não foi esquecida e o carinho retribuído.

Hoje teremos disputa de medalhas em várias modalidades.

Hugo Hoyama e Thiago Pereira na luta e dando esperança a toda uma nação.

O Brasil Olímpico começa o mais importante ciclo da sua história.

Veja mais:

+ R7 BANDA LARGA: provedor grátis!
+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

 

 

Já vai começar a festa do Pan

Estou na posição de comentarista do estádio para a abertura ao lado da Ana Paula Padrão e do Mauricio Torres.

Daqui a pouco, 42 países estarão na corrida do ouro da olimpíada das Américas.

Alguns vão levar a maioria das medalhas. Meus palpites são para EUA, Cuba, Brasil, Canadá e México.

Outros vão a luta pelo passaporte olímpico como o handebol, canoagem, hipismo, pentatlo moderno, nado sincronizado, saltos ornamentais, tiro esportivo e tênis de mesa.

Hugo Hoyama, nosso porta-bandeira, conquistou nove ouros na história do Pan.
Por causa dele, vários chineses se naturalizaram argentinos e dominicanos para quebrar a hegemonia do brasileiro que está no seu 7º Pan.

Cláudio Biekarck, da vela, está no seu 8º Pan com sete medalhas até aqui, sendo uma de ouro, três de prata e outras três de bronze.

A delegação brasileira vem com apetite.
Ninguém fala, mas querem repetir o banho de medalhas do Pan do Rio de Janeiro, em 2007.
Acho difícil, mas não impossível.

Agora vai o pré-show e depois a abertura deste evento que promete entrar para a história!

Veja mais:
+ R7 BANDA LARGA: provedor grátis!

+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Guadalajara e a corrida do ouro

medalhas pan post alvaro Guadalajara e a corrida do ouro
Medalhas do Pan de Guadalajara - Créditos: Divulgação

Impressionante o que me perguntam sobre o quadro de medalhas do Pan-Americano.
Vamos superar o Rio 2007?
A gente torce, mas não distorce.
Chegar as 50 medalhas de ouro é algo muito difícil de acontecer.

A realidade e a sabedoria indicam 40 medalhas.
Um belo resultado, caso aconteça.
Em 1999, no Pan de Winnipeg, foram 101 medalhas no total.
Santo Domingo, em 2003, 123 medalhas.

Hoje vivemos um clima de "superciclo" olímpico. O maior da nossa história.
Vamos de Guadalajara 2011 aos Jogos Olímpicos do Rio 2016.
Cinco anos de desenvolvimento do esporte de alto nível.
Cinco anos de pesquisa e apoio de treinadores estrangeiros.
Por isso nossos atletas estão motivados demais para o Pan.
Eles sabem que todo país estará de olho durante todo esse tempo.
E ainda olheiros e patrocinadores que irão atrás da melhor oportunidade.

A corrida do ouro do Pan de Guadalajara vai transformar a vida de muitos atletas que saíram de comunidades e hoje correm atrás da glória.
Quem garantir o ouro irá melhorar a vida nos próximos anos.
É o começo do sonho.
Banhado no ouro pan-americano.

Veja mais:

+ Curta o R7 no Facebook
+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

O primeiro Pan a gente nunca esquece

Porto Rico - 1979


Foi a primeira vez que fui para os Jogos Pan-Americanos, a olimpíada das Américas.


Na bagagem eu levava poucas roupas e uma vontade louca de acompanhar todas as grandes competições.

Um ano antes das olimpíadas de Moscou-80, esse Pan era preparatório para alguns atletas de nível olímpico como as equipes de vôlei e basquete e o nosso grande João do Pulo, recordista mundial do salto triplo.

Em Porto Rico, nosso desempenho foi muito fraco. Nove medalhas de ouro foram conquistadas.

Apenas 9.

Para que todos tenham uma ideia da nossa evolução, o Brasil obteve 163 medalhas no Pan do RIO 2007, sendo 56 ouros, 40 pratas e 67 bronzes.

Em Porto Rico 79, conquistamos 9 medalhas de ouro, 13 de prata e 17 de bronze. Total de 39 medalhas.

O esporte mundial ainda vivia na era do amadorismo e foi o Pan que o nosso judô deslanchou. Afinal dos 9 ouros, 4 foram do judô. Nossos heróis na época foram Oswaldo C. Simões, Carlos Alberto Cunha, meu amigo Fuscão-Carlos Alberto Pacheco e o técnico atual da seleção brasileira, o craque Luis Shinohara. Na época já havia uma política pesada da confederação brasileira da modalidade.

O Brasil é o país da bola, mas nosso basquete teve problemas internos e ficou com o bronze. Donos da casa, os porto-riquenhos pegaram a prata e o ouro foi para os norte-americanos.

Para mim, foi uma das mais fortes equipes amadoras dos EUA que vi.

Rolando Blackman, Mark Aguirre, Kevin Mc Hale e o incrível armador Isiah Thomas fizeram a festa no Caribe dirigidos pelo famoso técnico de Indiana, o lendário Bobby Knight.
No feminino, Paula e Hortência já encantavam e mostravam uma habilidade nunca vista entre as mulheres.

Já o vôlei brasileiro estava formando sua geração olímpica da prata com Willian, Amauri ao lado de Fernandão e Moreno. Brasil foi segundo e Cuba, primeiro.

O Pan 79 foi de João Carlos de Oliveira, o João do Pulo. Ele ganhou duas medalhas de ouro nos saltos:

Em distância, 8,18 m e no triplo, sua especialidade-17 m e 27 cm.

Foi o brasileiro mais premiado no último Pan romântico, amador. Em que o deslocamento era fácil e tudo estava montado num parque.

Qualquer brasileiro que foi para lá tem saudade e até hoje brincamos que de cada 3 edições dos Jogos Pan-Americanos, 2 deveriam ser em Porto Rico.

Veja mais:
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7