Posts com a tag: Libertadores

Santos na hora da verdade para uma geração

Dois símbolos santistas estarão em campo hoje. O craque Ganso e o operário Léo.

O lateral é o símbolo do time nas conquistas passadas do inicio do novo século. Conquistas divididas com Elano.

Mas só o lateral tem todos os títulos da era Robinho-Diego, mais os da Era Ganso-Neymar. Elano chegou esse ano e Léo ano passado ganhou Paulista e Copa Brasil.

Léo foi reconhecido pela torcida como o jogador que a representa no campo. Agora ele tem sua segunda final de Libertadores num Santos que em 10 anos montou dois times fantásticos.

Léo é o guerreiro santista.

E se Léo é o raçudo, Ganso é o maestro.

Muitos contestam Muricy por colocá-lo desde o início. Mano Menezes não. O técnico da seleção considera Ganso o melhor da posição em todo mundo. Muitos o qualificam como um novo Zidane.

O que vale é que sem Ganso o Santos não teria chegado na final.

neymar ganso 450 Santos na hora da verdade para uma geraçãoAno passado arrebentou na Copa do Brasil e no Paulistão. Aí se machucou.

Voltou e foi decisivo contra o América do México e o Cerro Porteño na classificação.

Contra o Cerro, o Santos poderia ser eliminado. Tinha que ganhar no Paraguai sem Zé Love, Elano e Neymar. Ganso garantiu a vitória que poderia ser mais dilatada que os 2 x 1.

Hoje pode ser a despedida de Ganso e Neymar do Santos. Com Ganso em campo, Neymar fica mais solto e o time flui com facilidade.

Dizem que Neymar já está no Real Madrid. Será?

O certo é que Ganso quer provar o quanto é bom. O quanto é craque e o cenário não poderia ser melhor:

Pacaembu, numa decisão de Libertadores, contra uma camisa histórica.

Hoje, o Santos de Léo, Neymar e Ganso pode chegar nas Américas, onde o imortal time de Pelé  foi.

2011 pode ser branco.

Um MAR BRANCO.

Veja mais:

+ Siga o R7 no Twitter
+ Torne-se fã do R7 no Facebook

+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Santos na hora da verdade para uma geração.

Dois  simbolos santistas estarão em campo hoje.O Craque Ganso e o operário Léo.

O lateral é o simbolo do time nas conquistas passadas do inicio do novo século.Conquistas divididas com Elano.

Mas só o lateral tem todos os titulos da Era Robinho-Diego ,mais os da Era Ganso-Neymar.Elano chegou nesse ano e Léo ,ano passado ganhou Paulista e Copa Brasil.

Léo foi reconhecido pela torcida como o jogador que a representa no campo .Agora ele tem sua segunda final de Libertadores num Santos que em 10 anos montou dois times fantásticos.

Léo é o guerreiro santista.

E se Léo é o raçudo, Ganso é o maestro.

Muitos contestam Muricy por coloca-lo desde o inicio.Mano Menezes não.O técnico da seleção considera Ganso o melhor da posição em todo mundo.Muitos o qualificam como um novo Zidane.

O que vale é que sem Ganso, o Santos não teria chegado na final.

Ano passado arrebentou na Copa do Brasil e no Paulistão.Aí se machucou.

Voltou e foi decisivo contra o América do México e o Cerro Porteño na classificação.

Contra o Cerro ,o Santos poderia ser eliminado .Tinha que ganhar no Paraguai sem Zé Love ,Elano e Neymar. Ganso garantiu a vitória que poderia ser mais dilatada  que os 2 x 1.

Hoje,pode ser a despedida de Ganso e Neymar do Santos.Com Ganso em campo,Neymar fica mais solto e o time flui com facilidade.

Dizem que Neymar já está no Real Madri.Será?

O certo é que Ganso quer provar o quanto é bom.O quanto é craque e o cenário não poderia ser melhor:

Pacaembu ,numa decisão de Libertadores ,contra uma camisa histórica.

Hoje, o Santos de Léo,Neymar e Ganso pode chegar nas Américas,onde o imortal time de Pelé foi.

2011 pode ser branco.

Um MAR BRANCO.

Santos dá um passo gigante para a conquista da América

São 180 minutos de decisão para a Libertadores. Nos primeiros 90, tudo correu conforme o script. Defesa fechada, e agressividade nas poucas descidas.


O Santos teve oportunidades desperdiçadas. Peñarol idem.


Mas o que se percebe a cada dia é que Zé Love não é o mesmo do ano passado ou do ínicio desse ano.


A transferência para a Itália, não mexeu só com sua cabeça, mexeu e muito com seu futebol.


No Brasileirão 2010, Zé foi decisivo contra Cruzeiro e Fluminense que brigavam pelo título.


O Santos venceu o Cruzeiro por 4 x 1, e o Flu de Muricy por 3 x 0. Detalhe, Zé Love fez os três gols.


Hoje não dá para explicar o que acontece com ele. Seu último jogo com o time será a decisão da próxima quarta, no Pacaembu.


Santos e Penãrol duelaram no velho estádio Centenário, fazendo jus à tradição de dois times que já dominaram o mundo.


Os uruguaios são terríveis fora de casa e liquidaram quase todos os seus oponentes assim.


Já o Santos poderá comemorar o retorno dos laterais Jonathan e Leo, além da volta garantida do capitão Edu Dracena. Mas a grande novidade poderá ser a presença de Ganso.


Só que cabe a pergunta, no lugar de quem?


Muricy pode tirar o volante Adriano, mas a marcação perde com isso.


Outra opção é sacar Danilo. Aí o time no meio fica com Adriano, Arouca,Elano e Ganso.


Por fim, pode tirar Zé Love e aproximar Ganso e Elano de Neymar. Mas aí Neymar fica isolado. Perdido entre os zagueiros.


A minha opção?


Sacar o Adriano e exigir mais postura defensiva do Danilo.


Aí o Santos pode defender com uma ótima saida de bola.Adriano não tem o passe de Arouca e Danilo.


Quanto a Elano e Ganso, nada a comentar. Se estiverem bem serão os titulares de Mano Menezes.


O Santos já poderia contar com o título se tivesse o artilheiro Borges . Mas como o se não joga, o jeito é encarar a chance histórica de se igualar ao Santos imortal dos anos 60. O Santos de Pelé.


Veja mais:

+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Melhor time das Américas no século 20.

Santos driblou o vulcão, mas passa pelo Peñarol?

Em 99 anos de existência, o Santos tem um dos mais importantes confrontos da sua história.


O Peñarol tem uma história de conquistas com times fantásticos. Lá jogaram Abadie, Figueroa, Forlan, Spencer e o grande Pedro Rocha.


Dois mundiais interclubes e cinco Libertadores fazem parte do acervo de conquistas.


Em 1962, os dois gigantes sul-americanos decidiram a Libertadores e o Santos de Pelé levou a melhor. Hoje os dois times são bem diferentes.


O Peñarol tem um time aguerrido que eliminou vários favoritos - Inter de Porto Alegre, La U e o argentino Velez Sarsfield. Martinuccio é o principal jogador do time uruguaio, que tem uma defesa bem fechada.


Santos tem Neymar e o jogo mais importante da sua carreira até aqui. Jogar no Centenário com dezenas de milhares de fanáticos gritando não é para qualquer um.


A defesa santista está desfalcada. É fraca e sente a pressão. O meio-campo é muito superior e se estiver bem posicionado pode garantir o placar.


Como o gol marcado fora de casa não vale na final, Peñarol vai atacar com tudo sabendo que o Santos não conta com Edu Dracena, Léo, Maikon Leite e Ganso.


Já o Santos vai jogar tudo em Neymar e torcer para a jovem estrela decidir. Perder no Uruguai é a lógica. Empate é ótimo.


Vitória no Centenário pode botar a mão na taça. É o Brasil na decisão da Libertadores.


Veja mais:


+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Santos é o Brasil na Libertadores

Hoje começa a batalha santista nas quartas de final do mais importante torneio das Américas.

Até agora o clube foi o que mais viajou na fase mata-mata da competição.

Nas oitavas de final foi a Querétaro enfrentar o América do México e agora está em Manizales contra o Once Caldas, que eliminou o Cruzeiro.

Manizales fica na região central da Colômbia, próxima à Armênia e Pereira. Seguindo para o oeste, tem Quibdó e o Panamá... Isso mesmo, você sai da Colômbia.

Para chegar lá, o Santos marcou apenas um gol no mata-mata. Aquele do Ganso contra o América-Mex, na Vila Belmiro. Depois o empate em Querétaro que classificou o time para as quartas.

O gol do Ganso foi o último marcado pelo Santos nessas fases decisivas de Libertadores e Paulistão. Depois vieram os empates contra o América e o Corinthians.

Ano passado, o time atacava o tempo todo e deixava os adversários sem fôlego. Agora é atacado e conta com o goleiro Rafael em grande fase.

Mas será que isso é suficiente para sair com um bom resultado da Colômbia? Com a geração Pelé, o Santos foi bi na Libertadores e no Mundial Interclubes.

Com a geração Robinho, Diego e Elano, o time foi vice em 2003 perdendo a final para o Boca Juniors. Vale lembrar que Ricardo Oliveira deixou o clube pouco antes da decisão. E em 2007, o time de Zé Roberto chegou às semifinais.

Hoje começa a grande batalha da geração de Neymar que, sem Ganso - que está machucado, tentará dar o passo decisivo para uma vitória e amenizar o confronto do Brasil na mais irregular Libertadores dos últimos tempos.

Das oito equipes temos duas paraguaias (Cerro e Libertad), uma colombiana (Once Caldas), uma argentina (Velez Sarsfield), uma chilena (U Catolica), uma mexicana(Jaguares), uma uruguaia (Penãrol) e o Santos, que mais do que nunca, é o Brasil na Libertadores.

Timão – Queda e crise

New Image Timão   Queda e crise


Atordoado, Ronaldo não acreditava no que havia acontecido com a precoce eliminação da Libertadores.


A derrota que poderia ter números mais expressivos acabou com 2011, disso ninguém tem dúvida.


Há um mês, jogadores e emissão técnica esbanjavam otimismo e até brincavam com o nome do Tolima, um clube que só perdeu um jogo no seu estádio em mais de 40 jogos.


E a pré-temporada corintiana?


Deveria ter iniciado antes para quem aspira um título como a Libertadores.


Mas, o principal problema foi à reposição das peças. Saíram Willian e Elias e vieram Wallace e Luis Ramirez.


O clube liberou Defederico que foi para o Independiente, fez gol contra o Desportivo Quito e foi convocado para a seleção argentina.


Mas espera aí, o Corinthians negociou Defederico? Não. O passe ainda pertence ao clube.


Agora Defederico treina com a seleção do seu país e sonha com a convocação para a Copa América.


A vida é feita de escolhas e temos que conviver com elas, tomara que o Corinthians encontre seu caminho, num dos piores momentos da sua longa história. Sua imensa torcida merece isso.


Veja mais:


+ Leia mais sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Timão: Um ano em 180 minutos

ronaldo blog1 Timão: Um ano em 180 minutos


A pré-Libertadores assusta alguns clubes, principalmente aqueles que não conseguiram seu objetivo na pré-temporada, ou, como é conhecido o período de treinos e exames que antecede as competições do ano.


Nenhum clube brasileiro, incluindo o Corinthians, conseguiu seu intento e, logo no início, tem um mata-mata importantíssimo.


Corinthians e Tolima fazem o confronto do ano. 0 x 0 no primeiro jogo no Pacaembu, mas é muito cedo para jogar a toalha.


Afinal, agora a pressão muda de lado e o Timão pode jogar como o seu técnico gosta: fechado e saindo em contra-ataques.


Serão os 90 minutos mais importantes até aqui, neste período do Centenário, que vai até setembro de 2011.


Caso fique no caminho, restará a lembrança de 2009 e daqueles dias encantados do Paulistão e da Copa do Brasil, quando recém chegado da Europa, Ronaldo arrasava com gols espetaculares contra  Santos e  São Paulo.


Ronaldo ainda pode decidir contra o Tolima e, não se enganem aqueles que pensam que ele já não tem condições.


Ronaldo tem aquele algo mais. Aquele brilho que separa os atletas dos imortais.


O poder de decisão de um Michael Jordan ou Pelé, mas que o resto tem que acompanhar.


Só com o Fenômeno inspirado e um jogo coletivo forte é que o Corinthians vence seu maior desafio de 2011, daqui a alguns dias.


Haja coração.


Veja mais:


+ Leia mais sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Brasileirão e Libertadores – G3 ou G4?

A Sul-Americana criou um imbróglio no campeonato, já que uma das vagas da Libertadores foi retirada do Brasileirão. Hoje muitos dizem que nenhum brasileiro vai ganhar a competição de segunda linha do continente.

Será?

Palmeiras x Atlético-MG fazem o jogo da felicidade. O Verdão com o discurso de respeito ao time reserva do Galo. E o Atlético-MG falando no desgaste dos paulistas.

A Arena do Jacaré verá um confronto decisivo. De um lado o Verdão de Marcos Assunção, o melhor cobrador de faltas do Brasil na atualidade.

Do outro, as jovens promessas do Atlético, que nada tem a perder, comandadas pelo excelente goleiro Renan, futura promessa da seleção olímpica.

Jogadores e analistas são unanimes em afirmar que os times brasileiros são os melhores da Sul-Americana e com esse emparedamento das quartas de final, Palmeiras x Atlético-MG e Goiás x Avaí, um brasileiro estará na final.

E para mim será o vencedor desse confronto entre Palmeiras e reservas do Galo.

Aí, adeus G4 do Brasileirão.

Adeus.

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Que semana no mundo do esporte, hein?

Vamos lembrar a maratona? Começamos pela Libertadores. Os brasileiros se qualificaram e terão confrontos difíceis.Vamos a eles:

O São Paulo encara o Universitário, que tem duas vitórias e quatro empates. Ou seja, não perdeu na Libertadores 2010...

Depois das duas derrotas para o Santos e a vitória magra sobre o Once Caldas, o São Paulo continua devendo. O Cruzeiro joga com o Nacional de Montevidéo, que soma três títulos da Libertadores e três mundiais de clubes. Não será fácil.

Já o Inter enfrenta o Banfield, da Argentina. Em 1998, no censo do futebol argentino, o Banfield apareceu com 0,3 % da torcida - 104 mil pessoas na época, pouco.

O Banfield é o bicho papão da segunda divisão. Tem uma torcida pequena e agora joga contra o Inter e sua imensa torcida. O Corinthians,  melhor time até aqui, pega o Flamengo em crise. É o clássico do povo. Sem prognóstico, tudo pode acontecer entre os dois.

O mundo levou um baque com a morte do espanhol Juan Antonio Samaranch, homem que revolucionou o esporte olímpico. Ex-presidente do Comitê Olímpico Interncional (COI), foi ele que botou os profissionais nas Olimpíadas. Graças a Samaranch, os Jogos Olímpicos de Barcelona foram realizados. Uma das mais belas edições da olimpíada em toda história.

samaranch alvaro Que semana no mundo do esporte, hein?

Em 1992, a Catalunha viu a maior força do esporte coletivo reunida: Magic Johnsson, Karl Malone, Charles Barkley, Pat Ewing e Michael Jordan no mesmo time - O Dream Team do basquete.

Samaranch morreu aos 89 anos. Foi o homem que mudou o esporte olímpico no século 20. Modernizou o COI, implementou programas de marketing com muitos patrocinadores e transformou os jogos olímpicos no maior evento do planeta. Até hoje, ninguém esquece a beleza e o ritmo da abertura de Barcelona  92.

Amigos para Sempre...

Veja mais:

+ Samaranch foi presidente do COI entre 1980 a 2001; veja a biografia do dirigente
+ Juan Antonio Samaranch, presidente de honra do COI, morre aos 89 anos

+ Acompanhe a cobertura da Copa 2010 no R7
+ Todos os blogs do R7